Família não tem dúvida de que corpo é de Andrielly

Um drama sem fim que precisa de mais um capítulo para que a família de Andrielly Gonçalves da Silva, de 22 anos, consiga se despedir dela. Familiares e amigos foram até a sede do Instituto Médico Legal (IML) na manhã desta segunda-feira (11), para levar uma radiografia da arcada dentária da jovem e assim conseguir mais elementos para provar oficialmente que o corpo encontrado na Estrada da Graciosa, em Morretes, na sexta-feira (8) é mesmo de Andrielly. Como a Banda B divulgou no fim de semana, já não há dúvidas da parte da família que se trata da jovem. Tanto as roupas como uma tatuagem no braço esquerdo foram reconhecidas, mas falta a confirmação oficial.

Familiares e amigos foram até o IML levar exames de Andrielly na manhã desta segunda-feira – Foto: Banda B

“Queremos que esta etapa do reconhecimento se resolva o quanto antes. A família está sofrendo muito e não tem mais dúvidas que se trata da Andrielly. A expectativa é que o corpo seja liberado nos próximos dias, agora que trouxemos o raio-x da arcada dentária dela”, disse um amigo da família.

Para a família, a entrega do documento vai servir apenas para formalizar o reconhecimento do corpo. “Minha irmã foi até o local e reconheceu a roupa dela e a tatuagem. Não há nenhuma dúvida”, falou a mãe da jovem Cleusa Gonçalves, ao Portal Agora Litoral. “Sempre dizia que queria encontrar minha filha, viva ou morta. Depois de ontem realmente encontrou, só que não da forma como a gente queria”, lamentou.

A estudante de Direito sumiu no dia 9 de maio e, desde então, a família não havia tido mais notícias sobre o paradeiro. O corpo atribuído a ela foi encontrado no quilômetro 9 da Estrada da Graciosa, em Morretes, no Litoral do Paraná, na tarde de sexta-feira (8).

Suspeito

O principal suspeito de ter matado Andriely é o soldado da Polícia Militar (PM) Diogo Coelho Costa, ex-marido dela. Ele está preso desde o dia 19 de abril, depois que imagens de câmeras de segurança mostraram o momento em que o policial saiu de casa com a jovem na madrugada em que aconteceu o desaparecimento.

Na última semana, a mãe de Andriely fez o exame de DNA que vai analisar a mancha de sangue encontrada no veículo de Diogo. A prisão temporária vence no próximo dia 19. A partir das investigações, a Polícia Civil pode pedir à Justiça a prorrogação do prazo ou a conversão para prisão preventiva.

A Delegacia do Alto Maracanã segue investigando o caso.