Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

A família que era mantida como refém no bairro Capão Raso, em Curitiba, desde o final da tarde deste sábado (31) foi liberada durante a noite, após quase cinco horas de negociações. Ao todo, quatro bandidos mantiveram sete pessoas presas dentro da casa em que moravam na Rua José Alcides de Lima. Entre os membros do grupo, dois foram presos, um fugiu e outro morreu em confronto com a Polícia Militar.

BTBj35aIAAAsDm4Durante o final da tarde de ontem, uma mulher que disse estar sob a mira de um revólver entrou em contato com a redação da Banda B e afirmou que os sequestradores queriam que a imprensa fosse até o local. “Estou com uma arma na minha cabeça. Oito pessoas estão aqui. Venham, venham, por favor”, disse. Logo depois, o sequestrador tomou o telefone das mãos da refém e disse à reportagem que o grupo se entregaria, mas com a presença da imprensa no local.

De acordo com o tenente Nunes, do Batalhão de Operações Especiais (Bope), o bandido morto foi baleado após parar em frente a uma festa infantil, logo após tentar roubar um carro. “Ele estava ameaçando atirar contra policiais e, como estava em frente a uma festa infantil, o risco era muito grande, foi ordenado o disparo. O que saiu da casa com ele conseguiu fugir”, comentou. O Siate chegou a ser chamado, mas nada pôde fazer.

Após essa situação, os dois que estavam na casa ainda mantiveram o terror por mais aproximadamente três horas, quando a rendição ocorreu. Marcelo Rocha de Souza, o Sapão, de 36 anos, possuía passagens por roubo e porte ilegal de armas. Ele foi condenado a nove anos de prisão e estava sob condicional. Luiz Henrique dos Santos, 22, também possuía passagens pela polícia. Ambos foram encaminhados ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac) da Polícia Civil.

Notícia Relacionada:

Família é mantida refém por cinco bandidos no Capão Raso; um dos comparsas foi morto