Por Marina Sequinel e Geovane Barreiro

“Você pode ajudar a salvar a vida do Tiago”. Essa é uma das frases da campanha que busca mobilizar as pessoas a doar medula óssea para o transplante do advogado Tiago Rodrigues, de 32 anos, que sofre com leucemia. O diagnóstico foi descoberto no dia 19 de setembro e, desde então, a vida dele mudou completamente.

“Nessa época, ele começou a apresentar alguns sintomas não relacionados e, como os tratamentos não adiantaram, ele teve que ser internado para uma investigação mais profunda. Com os exames de sangue, descobriram a leucemia”, relatou a médica e irmã do rapaz, Rita Hofstätter Saul, em entrevista à Banda B na tarde desta quinta-feira (6). Moradora dos Estados Unidos, ela voltou para o Brasil quando soube do caso.

tiago-061114-bandab(Foto: Reprodução/ Facebook)

Após o diagnóstico, Tiago ficou 23 dias internado e, depois de liberado, passou mais 17 dias em casa. “Não foi nada fácil receber uma notícia como essa, nem para a família, amigos, e muito menos para o próprio paciente. Apesar do susto, ele se dispôs a lutar desde o começo e nós o apoiamos, o incentivando a ficar sempre positivo. A gente acredita que vai dar tudo certo”, completou Rita.

Inicialmente, o jovem fez uma quimioterapia com medicação forte para ajudar a combater a doença. Apesar do tratamento, os médicos já alertaram que apenas esse processo não será suficiente e que Tiago precisa do transplante. “Eu coloquei na cabeça, então, que nós vamos encontrar esse doador, ele está em algum lugar por aí. Por isso resolvi fazer a campanha no Facebook. Muitos estão compartilhando e ajudando”, disse Rita.

Ela fez o exame para ver se poderia doar a medula para o irmão, mas o resultado deu apenas 50% de compatibilidade. “Esse foi um dos fatores que me motivou a pedir ajuda. Eu escolhi a foto do Tiago sorrindo para publicar, porque essa imagem passa que ele quer seguir em frente”.

Antes do diagnóstico, Tiago, advogado formado em 2005, passava os dias estudando para um concurso da Defensoria Pública. “Esse era o maior sonho dele. Agora, o que ele deseja é sobreviver”, concluiu a irmã.

Como ajudar

Quem quiser realizar a doação, pode se dirigir a qualquer unidade do Hemepar de sua cidade com o documento de identidade. Em Curitiba, Rita sugere o hemocentro na Travessa João Prosdócimo, 145, no Alto da XV. Em seguida, é realizado o cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), com a coleta de 5 ml de sangue – como um exame de sangue comum.

“Se o doador for chamado, todas as despesas necessárias são pagas e o procedimento é bem simples, com duração de cerca de 40 minutos. Há a retirada da medula com uma agulha na região acima das nádegas, com anestesia, que não acarreta nenhum risco ao doador. É importante lembrar que, se a medula não for compatível com a do meu irmão, pode ser para outras pessoas que precisam”, explicou Rita.

Notícia relacionada

“Ajudaram um anjo”, diz irmã de menino que vai conseguir cadeira especial após vaquinha virtual