A Justiça do Rio decretou nesta terça-feira, 28, a prisão temporária, por cinco dias, de três suspeitos de envolvimento na morte do turista argentino Matías Sebastian Carena, de 28 anos. Ele morreu depois de ser espancado na madrugada de domingo, 26, em frente a uma casa noturna de Ipanema, na zona sul do Rio.

Tody Cantuária (Foto: Reprodução/Instagram)

Os suspeitos são Valterson Ferreira Cantuária, Júlio Cesar Oliveira Godinho e Pedro Henrique Marciano. Eles ainda não foram presos. Valterson, mais conhecido como Tody Cantuária, é músico e até novembro integrou o grupo de pagode Karametade. A decisão é da juíza Angélica dos Santos Costa, do plantão judiciário.

Carena estava com dois amigos, também argentinos, e foi atacado por um grupo de pelo menos quatro homens, todos brasileiros, após sair da boate Barzin, na Rua Vinícius de Moraes, por volta das 4h30. A briga teria começado depois que os argentinos contestaram o valor da conta da casa noturna.

Houve acordo quanto a isso, mas os brasileiros passaram a zombar dos argentinos. Ao levar um soco (desferido por Cantuária, segundo a polícia), o argentino caiu, bateu a nuca no degrau de uma loja e desmaiou. Mesmo desacordado, continuou a ser agredido com socos e até uma muleta, que teria sido retirada de um morador de rua.

Socorrido e colocado em um táxi, Carena morreu antes de chegar ao Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon (zona sul). Segundo o laudo da necropsia, a causa da morte foi “contusão de crânio com hemorragia das meninges”.

A identificação dos três suspeitos foi feita a partir da menção a apelidos e das descrições feitas por testemunhas da briga, que prestaram depoimento à polícia. Também foi baseada em imagens das câmeras de segurança do Barzin e de prédios vizinhos que registraram a briga, na rua.