Antônio Nascimento – Banda B
Soczk, à direita, planejou o crime contra ex-esposa, diz polícia

A Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba (DFR) apresentou durante a tarde desta quarta-feira (20) João Carlos Soczk, de 43 anos, acusado de ser o mandante do assassinato de Bernadete Dolores Dulla Zella, de 43 anos, ex-esposa dele. De acordo com o delegado Amarildo Antunes, da DFR, Soczk já planejava há pelo menos três anos a morte de Bernadete, dona da Confeitaria Maggiore, no bairro Mercês, em Curitiba. Além do ex-marido, mandante do crime que começou na tarde do último domingo e terminou na manhã de segunda-feira, foi preso Jefferson Aparecido de Paula, de 27 anos, o Jéfinho, que receberia três parcelas de R$ 3 mil para, a princípio, ‘apenas’ assaltar a confeitaria de Bernadete.

Reprodução RPCTV
Bernadete tinha 43 anos e deixou uma filha de seis

Amarildo Antunes contou à Banda B que Soczk foi preso depois de evidências encontradas nas imagens das câmeras de segurança da confeitaria e também de outras ameaças que ele já havia feito contra Bernadete. “Há pelo menos três anos temos a informação de que ele queria matá-la, já que seria o mentor intelectual de um sequestro contra a empresária que aconteceu em 2010. Também soubemos que ele esteve na confeitaria na sexta-feira e comparamos as imagens deste dia com as de domingo. Ao fazer isto, verificamos semelhanças no jeito de andar dele e de um dos assaltantes, por isso fomos atrás do Soczk”, contou o delegado.

O ex-marido foi preso em Joaquim Távora, no norte pioneiro do Paraná. “Quando chegamos a sua casa, ele negou, mas encontramos uma camisa amarela da mesma marca e promoção que o sequestrador usava no dia do crime, então, sem saída, prontamente ele assumiu o envolvimento. Apesar disto, negou que seria o mandante e disse que foi obrigado pelo Jefferson a participar do crime, o que nós não acreditamos”, descreveu Antunes.

O comparsa de Soczk, por sua vez, garantiu que fez tudo sob ordens e disse ainda que o ex-marido disparou o gatilho e matou Bernadete. “O Jefferson disse que ia ganhar para cometer o crime e que tudo teria acontecido porque durante o assalto a Bernadete teria reconhecido o ex-marido. Por este motivo, ele a teria levado para Campo Magro onde disparou e a matou. Ainda, o Jéffinho nos informou que o Soczk sempre quis matar a Bernadete e antes de atirar teria dito: ‘Lembra que um dia eu disse que iria te matar’. Um sujeito frio, que trancou a própria filha de seis anos em um cômodo da confeitaria”, relatou o delegado.

Por fim, o delegado apontou uma motivação financeira e passional para o crime. “Uma disputa por patrimônio, que acontecia desde o fim do relacionamento entre os dois, porque ele tinha o nome sujo e queria a cada dia tirar mais dinheiro dela e também uma questão passional, já que ele sempre a ameaçava e inclusive chegou a ser internado depois do sequestro há três anos. O que foi um erro, porque a família deveria ter denunciado a polícia, ao invés de ter o colocado em uma clinica psiquiátrica”, concluiu o delegado.

“É um burro”, diz parente

Em entrevista à Banda B, um parente de Bernadete afirmou que o mandante do crime esteve no local em que corpo da vítima foi encontrado para lamentar a perda da dona da confeitaria Maggiore: “Ele apareceu lá chorando e dizendo que ela não merecia isto. Ainda se mostrava preocupado com a filha de seis anos, que ele próprio trancou durante o sequestro”, disse.

O parente, que pediu para não ser identificado, chamou o empresário de burro e disse que ele acabou com uma família. “O que ele fez é inacreditável. Acabou com uma família de maneira fria. É um cara burro, que não pensa nas consequências dos seus atos”, iniciou bastante emocionado. “Minha sogra nunca teve medo dele, antigamente ele fazia algumas agressões, mas depois de um determinado momento isto acabou”, complementou.

De acordo com o parente, a confeitaria estava no nome de Bernadete e, por isto, Soczk a pressionava para conseguir dinheiro. “Ele tinha o nome sujo e não estava mais na sociedade. Então ficava pedindo dinheiro e até mesmo produtos da confeitaria. Sempre foi assim, infelizmente”, concluiu.

Segundo o parente, a confeitaria volta às atividades nesta quinta-feira (21), ainda em luto pelo o que aconteceu com Bernadete.

O crime

A empresária foi encontrada morta com um tiro na nuca na manhã de segunda-feira (18) em uma estrada rural da região metropolitana. Ela havia sido sequestrada na tarde anterior enquanto trabalhava na confeitaria. Imagens das câmeras de segurança do estabelecimento mostraram que dois homens, como os rostos cobertos, entraram na parte interna da confeitaria, renderam Bernadete e a levaram sequestrada. Estes dois rapazes eram o ex-marido e Jefferson, apresentados hoje. Bernadete deixa três filhas, fruto do relacionamento com Soczk.

Os suspeitos estão detidos na carceragem da DFR, à disposição da justiça.