da AEN

Laboratório de Centro de Educação Profisssional de Pitanga. Pitanga, 06/12/2016 Foto: Fernando de Jesus/SEED

Laboratório de Centro de Educação Profisssional de Pitanga.
Pitanga, Foto: Fernando de Jesus/SEED

O Governo do Paraná está equipando os Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPS) e as escolas da rede estadual de ensino que ofertam cursos de formação técnica com modernos equipamentos para laboratórios, que vão auxiliar a formação prática dos estudantes. A modernização é resultado da parceria entre o Governo do Paraná e o Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

A superintendente da Educação, Fabiana Campos, destacou a importância do investimento para o fortalecimento da formação profissional ofertado pelo Estado. “São equipamentos que garantem a estrutura necessária para que os alunos tenham efetivamente a articulação entre a teoria e a prática profissional. É comprovado que o estudante que opta por ter a formação técnica junto com o ensino médio consegue no mercado de trabalho uma renda superior ao estudante que conclui apenas o ensino médio”, disse Fabiana.

TRÊS PROFISSÕES

Em Pitanga (região central) os alunos dos cursos de enfermagem, edificações e segurança do trabalho do Centro Estadual de Educação Profissional Professor Miguel Carlos Parolo realizam as aulas teóricas simultaneamente com a prática profissional. O colégio já recebeu da Secretaria da Educação equipamentos modernos que simulam as práticas diárias das três profissões.

“Temos todos os equipamentos necessários para realizar as práticas profissionais que são exigidas diariamente na profissão. Aqui os alunos aprendem na teoria e na prática todos os procedimentos hospitalares, desde a separação correta do lixo hospitalar, ao primeiros socorros em caso de ataques cardíacos”, disse a professora do curso de enfermagem, Josiane Colaço.

A qualidade de ensino ofertado pela escola é resultado do esforço do Governo do Estado em equipar as escolas técnicas do Paraná com equipamentos de ponta para que os alunos recebam a formação profissional gratuitamente e de qualidade. O laboratório de enfermagem do CEEP de Pitanga, por exemplo, conta com bonecos simuladores de massagem cardíaca (equipado com sistema eletrônico que alerta se o procedimento está sendo feito da maneira correta), sonda vesical nasogástrica e sistema de gestação. Os alunos também contam com esqueletos com ossos, cartilagens e sistema muscular, equipamentos de pulsão venosa (para encontrar a veia correta para aplicação de soro), além de uma série de equipamentos hospitalares necessários para as atividades práticas. “Esses equipamentos garantem a qualidade do curso, que já é referência para nossa região”, disse Josiane. O laboratório de enfermagem custou aproximadamente R$ 71 mil.

FORMAÇÃO PRÁTICA

Gerson Ferreira da Silva, coordenador do curso técnico em eletroeletrônica do Centro Estadual de Educação Profissional Maria Lídia, em Assaí (na região Norte), reforça que os equipamentos complementam a formação profissional dos alunos. “Trabalhar com equipamentos específicos para as disciplinas do curso é fundamental porque os estudantes conseguem observar na prática os conceitos e o funcionamento da eletricidade e suas funções. Os cursos na área de elétrica exigem a prática e essa experiência para que os alunos, ao concluírem o curso, estejam aptos a ingressar no mundo do trabalho”, disse.

O Centro Estadual de Educação Profissional Ozório Gonçalves Nogueira, de Bandeirantes (Norte), deve iniciar a oferta dos cursos de eletroeletrônica e mecatrônica no segundo semestre de 2017. O colégio está recebendo gradativamente os equipamentos para a composição dos laboratórios. “O diferencial das escolas técnicas é a formação prática dos alunos e para isso os equipamentos são fundamentais”, disse o diretor do CEEP, Mauro Donizete Fabiam.

Tanto o CEEP e de Assaí como o de Bandeirantes recebem equipamentos específicos como megômetros (que servem para medir valores elevados de resistências elétricas), ponte de resistência, indutância e capacitância (RLC – usados para medir capacidade elétrica e o movimento gerado por eletromagnetismo, bancadas para estudos de medidas elétricas, entre outros equipamentos, além de material didático específico para os cursos. Os laboratórios para os cursos que envolvem práticas de eletricidade e medidas elétricas devem custar aproximadamente R$ 145 mil cada.

REFERÊNCIA REGIONAL

Em Londrina, (Norte do estado), os alunos do curso técnico em mecatrônica do CEEP Professora Maria do Rosário Castaldi contam com modernos equipamentos como o Torno CNC com software 2 e 3D para a confecção de peças mecânicas, fresadora universal, furadeira de bancada, motoesmeril. Em 2012, o colégio recebeu robôs articulados de precisão, que possuem função didática. Os alunos podem, em laboratório, aplicar situações reais vivenciadas na indústria, por meio da simulação de eixos e da movimentação em três dimensões.

Os alunos também aprendem a produzir e implantar software de programação em robôs, para funções como o empilhamento de peças, por exemplo. “São todos equipamentos de ponta que fazem do nosso colégio referência na formação técnica para a região Norte do estado. Muitas escolas técnicas particulares não contam com os equipamentos que a nossa escola possui”, destacou o diretor Elvio Vilauba Valejo.

EXPANSÃO

Desde 2011, o Governo do Paraná já entregou dez centros estaduais de formação profissional em diferentes regiões do Estado. As novas unidades estão localizadas nos municípios de Fazenda Rio Grande (CEEP Erotides Ângelo Michele), Pitanga (CEEP Professor Miguel Parolo), Cianorte (CEEP Cianorte), Assaí (CEEP Maria Lídia), Terra Roxa (CEEP Paulo Renato Souza), Ibaiti (CEEP Seiji Hatanga), Francisco Beltrão (CEEP Sudoeste do Paraná), Bandeirantes (CEEP Osório Gonçalves Nogueira), Almirante Tamandaré (CEEP Theodoro de Bona) e em Laranjeiras do Sul (CEEP Laranjeiras do Sul).