Por Marina Sequinel e Juliano Cunha 

(Fotos: Juliano Cunha – Banda B)

Moradores do bairro Uberaba, em Curitiba, estenderam faixas em frente ao condomínio onde vivem para reclamar dos problemas causados por obras mal planejadas na região. Segundo eles, as casas, localizadas às margens da Avenida das Torres, estão ‘encurraladas’ por uma ruela aberta, onde não passam caminhões e não há escoamento da água.

De acordo com a moradora Berenice, a ideia é chamar a atenção das autoridades para os transtornos enfrentados pela população na área. “Nós não aguentamos mais fazer reclamações para a Prefeitura e, por isso, decidimos estender as faixas para ver se alguém nota e nos ajuda. A nossa vida no condomínio está um caos. Não tem como os caminhões entrarem, não dá para chover porque alaga tudo e os lixeiros também não conseguem fazer o trabalho deles direito”, relatou a moradora em entrevista à Banda B na tarde desta segunda-feira (21).

Os problemas começaram após o início das obras na Avenida das Torres para a Copa do Mundo em Curitiba. Desde janeiro, a abertura da rua ao lado da estrada deixou os moradores indignados. “Eu não acredito que alguém pôde fazer as obras desse jeito, sem estudos ou planejamento algum. Os responsáveis não têm que ficar só sentados e quietos do lado da mesa deles, mas vir até aqui e ver o que é mais adequado. Agora não tem como arrumar isso, por causa da pressa para a Copa”, disse Berenice.

Além do caos causado pelas obras, os 17 moradores do condomínio reclamam também da retirada da área verde da região e de processos que não foram concluídos, como os fios de energia que estão pendurados ou largados nas calçadas. “Nós estamos encurralados, não temos mais condições de viver desse jeito. Agora os carros usam a entrada junto com a do supermercado aqui perto para trafegar. Nós precisamos de uma solução imediata, porque pagamos as obras com os nossos impostos e só perdemos dinheiro com isso”, concluiu a moradora.

Entre os dizeres das faixas estão: “Proibido chover! Não há escoamento da água no lado das casas!”; “Antes: residencial Parque das Torres, agora: encurralados das Torres”; e ainda “Proibido entrar caminhão. Se entrar, só sai de ré! Bombeiros: esperamos não precisar de vocês!”.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que os moradores da região foram ouvidos nas audiências públicas da regional Cajuru, que aconteceram nas últimas semanas. A partir desse encontro, ficou definido o compromisso do município, por meio do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPUC), de analisar as possibilidades para solucionar o problema.

A Prefeitura ainda ressaltou que o sistema de drenagem foi pensado justamente para a obra e que os problemas relacionados ao trânsito e à coleta de lixo podem ser contornados a partir de desvios e da realização de outros caminhos pela população.