Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique

As empresas de transporte de Curitiba e região metropolitana ameaçam não pagar o 13° salário de motoristas e cobradores, alegando atrasos nos repasses por parte da Prefeitura de Curitiba. Em entrevista nesta sexta-feira (21), o membro do conselho do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), Dante Fracesch, disse temer por uma paralisação total nas próximas semanas.

“Nós não paramos o transporte coletivo, agora tenho certeza de que se não pagarmos o 13° salário os motoristas e cobradores vão parar as atividades, o que geraria a greve”, afirmou Fracesch. Em seguida, o conselheiro foi questionado do fato da verba de 13° salário ser dada diariamente pela URBS no valor da tarifa técnica e as empresas a terem usado durante o ano. “Se tudo fosse pago corretamente estaria em ordem, só que não está e o dinheiro do 13° foi usado para manter a operação”, explicou.

transporteEmpresas temem não pagar 13° dos funcionários (Foto: Divulgação)

Vale lembrar que nesta semana a Setransp afirmou por meio de nota que a URBS estaria devendo mais de R$ 9 milhões. Por sua vez, a empresa ligada a prefeitura disse que as operadoras do transporte coletivo têm um lucro de R$ 90 milhões.

A Banda B entrará em contato com a URBS referente ao uso do valor do 13° salário e a possibilidade de uma greve com o não pagamento do benefício.