Do Portal UOL

A companhia aérea VivaColombia negou nesta quinta-feira que o avião da empresa que aterrissou no Aeroporto Internacional José María Córdova, em Rionegro, minutos antes do acidente da aeronave que levava a delegação da Chapecoense, tivesse em situação de emergência.

viva

(Foto: Divulgação)

A VivaColombia afirmou que o capitão do voo FC8170, que fazia a rota entre San Andrés e Bogotá, “não declarou estado de emergência”, o avião “não apresentou vazamento, escape ou derramamento de combustível” e “alternou ao aeroporto de Rionegro como medida preventiva, seguindo os protocolos de segurança”.

Apesar disso, duas passageiras que estavam no voo disseram ao UOL Esporte que o comandante usou a palavra “emergência” quando se dirigiu aos passageiros e anunciou que seria necessário um pouso não programado em Medellín. A situação gerou apreensão e medo entre aqueles que estavam dentro da aeronave.

O avião que transportava a Chapecoense, com destino a Medellín, caiu na noite da última segunda-feira quando estava próximo ao aeroporto, pouco após pedir uma prioridade na aterrissagem, causando a morte de 71 pessoas entre jogadores, diretores, jornalistas e membros da tripulação.

Minutos antes, a torre de controle tinha dirigido a aterrissagem do avião da VivaColombia “dentro de um funcionamento normal”.

Para ler a matéria completa no Portal UOL