Da Redação

Três dias após fecharem a Rua Dr. Bley Zorning por cerca de três horas, os alunos do Sesi/Senai do bairro Boqueirão, em Curitiba, se recusaram a entrar em sala de aula nesta quinta-feira (28) em protesto ao alto número de furtos e roubos que passaram a ocorrer no entorno da instituição nos últimos meses. Pela manhã, os estudantes ainda seguiram em passeata até o Terminal do Boqueirão. Durante a tarde, o protesto se repetiu.

Na segunda, o organizador do protesto, Erick Cecon, aluno do Curso Técnico em Manutenção Automotiva, alegou à reportagem da Banda B que os carros dos alunos são furtados e levados por bandidos diariamente. “O problema principal é a segurança. Aqui virou shopping para ladrão e isso tudo pode ser confirmado na polícia. O Sesi tem estrutura para abrigar os carros dentro da instituição, mas eles não fazem nada porque esbarra em licitação, burocracia. Tem um espaço bom lá dentro, mas dizem que não estamos autorizados a entrar”, reclama o aluno.

O Sistema Fiep, que é responsável pela administração do Sesi, informou em nota que está tomando todas as medidas cabíveis em busca de soluções para as reivindicações apontadas nas manifestações realizadas nesta semana em relação a sua unidade no Boqueirão.

“Infelizmente, o aumento das ocorrências e dos relatos de violência nos arredores da unidade é um fato que está fora da alçada da nossa instituição, afetando toda a comunidade da região. Por conta disso, a direção do Sistema Fiep mantém contato frequente com as autoridades da área de segurança pública, levando a elas as preocupações de nossos alunos e colaboradores e procurando as melhores soluções para o caso”, diz a nota.

A Banda B também entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar, que informou que o Comado do 20º Batalhão informou que o policiamento ostensivo e preventivo foi intensificado nas imediações do Sesi/Senai no bairro Boqueirão, em Curitiba, além dos patrulhamentos que já são feitos diariamente no local. A PM lembra ainda que as informações apontam que as reivindicações da noite desta segunda-feira (25) feitas pelos alunos do referido colégio solicitavam melhorias e outras condições e, entre elas, segurança. A PM se coloca ainda à disposição de todos por meio do 190.