Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

taxistas

Taxistas em frente ao 12º BPM aguardando posicionamento da polícia. Foto: AN/Banda B

Um novo episódio envolvendo taxistas e motoristas de Uber em Curitiba na noite desta quinta-feira (4) terminou com três pessoas detidas no 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM). A confusão teria começado em frente a uma balada no bairro Batel, porque taxistas não queriam a presença de motoristas de Uber, aplicativo de transporte individual.

De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) registrado pela Polícia Militar (PM), os taxistas impediram que clientes do bar entrassem em um veículo que, supostamente, seria um Uber. Eles confirmam a versão. “Um rapaz, que a gente não sabe identificar se é do aplicativo clandestino, parou em frente ao bar e carregou um pessoal lá. Os taxistas foram em cima dizendo que ele não ia carregar, ele deu a volta na quadra e voltou com o irmão dele que é policial”, disse um taxista, sem se identificar.

Revoltados e reunidos em frente ao 12º BPM, no bairro Santa Quitéria, os taxistas afirmam que o policial agrediu alguns taxistas, entre eles, um homem de 60 anos. “Socos, pontapés, chutes. Ele disse que quem olhasse pra ele ia pagar”, lembra o taxista.

Segundo eles, o policial mostrou a arma para os frequentadores e também taxistas que tinham impedido passageiros de entrar no carro. “Isso está passando dos limites, tem muito pai de família aqui sujeito a levar um tiro na cara por causa dessa situação e das autoridades banir ou liberar esse aplicativo. Está passando do ponto”, finalizou.

O taxista que impediu os passageiros de usar o Uber, o motorista que supostamente seria do aplicativo de transporte e o policial militar foram encaminhados ao 12º BPM. Todos assinaram Termo Circunstanciado (TC) e foram liberados.