Da Redação

As empresas do transporte coletivo de Curitiba faltou, nesta quarta-feira (22), à audiência para negociar o reajuste salarial dos motoristas e cobradores. Sindimoc, sindicato que representa a categoria, atribuiu a ausência “aos acontecimentos relacionados à investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) sobre a licitação do transporte coletivo em Guarapuava”. A segunda fase da operação, nomeada de Riquixá, foi deflagrada nesta terça (21).

Jurídico do Sindimoc protocolou pedido de nova audiência. (Foto: Divulgação/Sindimoc)

Diante da falta da classe patronal, o Sindimoc protocolou solicitação de uma nova reunião na  Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). Na semana passada, as empresas apresentaram uma proposta considerada baixa pela categoria, que foi recusada pelos trabalhadores. No dia seguinte, em resposta ao pedido do Sindimoc, a classe patronal aceitou garantir a data-base por mais 30 dias, assegurando que o pagamento do acordo salarial e benefícios será feito de forma retroativa à 1º de fevereiro.

“Esperamos que ainda hoje a Superintendência agende uma nova audiência de conciliação. Nós, motoristas e cobradores, temos a expectativa de uma proposta digna, condizente com o valor do nosso trabalho para a sociedade”, disse Anderson Teixeira, presidente do sindicato.

De acordo com o Setransp, sindicato que representa as empresas do transporte coletivo, a ausência da classe patronal foi justificada na reunião. Além disso, uma nova data já foi definida para a próxima audiência, que deve acontecer no dia 8 de março.