Os agentes que fazem o controle da dengue vão voltar a reunir na manhã desta segunda-feira (18) para pedir solução no atraso dos pagamentos. Hoje, às 11 horas, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserpu), que representa a categoria, tem reunião marcada com representantes da Prefeitura Municipal de Curitiba. Em greve há dez dias, eles reclamam que o salário de janeiro, que deveria ser depositado no 5° dia útil do mês, não foi pago pela empresa Saneamento Ambiental Urbano (SAU), que presta serviços à Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Curitiba. A empresa estaria com pendências trabalhistas, diz a prefeitura.

O atraso, no entanto, segundo a agente Sueli Aparecida Venâncio, o não pagamento acontece desde setembro do ano passado. “A empresa atrasa nosso salário desde setembro, mas agora decidiram emperrar de vez. O advogado vai conversar com a gente daqui a pouco e depois vamos dar uma procuração para que eles possam negociar”, contou a trabalhadora à Banda B. Cerca de 250 funcionários fazem as inspeções e controles da dengue.

Em resposta, a Prefeitura alegou que a Secretaria Municipal de Saúde foi impedida de efetuar o pagamento referente ao mês de janeiro à Saneamento Ambiental Urbano (SAU), contratada para fazer o controle de focos de dengue, em função de pendências trabalhistas da empresa.

“A gente está sem salário, sem receber. O dono da empresa disse pra gente que jogou a toalha e que é pra gente buscar nossos direitos na justiça. Isto é muito complicado porque a gente tem família, tem compromissos”, desabafa a agente.

Assistência

Uma força-tarefa reuniu agentes de controle de vetores para continuarem o trabalho e evitar a desassistência da população, inclusive durante o feriado de Carnaval. A gestão anterior da SMS deixou de pagar a SAU entre os meses de outubro e dezembro de 2012 e com isso ficou uma dívida de R$ 2,9 milhões que só poderá ser paga após a análise do Comitê de Transparência e Responsabilidade Financeira.

Mesmo assim, é necessário que a SAU esteja com todas as certidões negativas em dia, caso contrário nem mesmo este pagamento poderá ser realizado. Até o final da tarde desta quinta-feira os funcionários não haviam recebidos os salários pendentes, nem mesmo os benefícios como Vale Refeição e Vale Transporte.