Redação

app

Reunião aconteceu simultaneamente ao protesto. Foto: Aline D’avila de Lima

No mesmo dia da manifestação dos professores para lembrar do dia 30 de agosto de 1988, o Governo do Paraná anunciou que pretende realizar concurso público para agentes educacionais e também convocar 330 professores que estão aguardando vagas do concurso de 2013. O encontro aconteceu no fim da manhã entre representantes da APP-Sindicato, o secretário chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a secretária de Educação, Ana Seres.  O edital do novo concurso será disponibilizado pela Seed.

Segundo a APP, cerca de 8.300 funcionários recebem salários abaixo do piso mínimo regional. São R$ 117,00 a menos em cada vencimento. A lei estadual estabelece que nenhum servidor público receba abaixo do estabelecido no salário mínimo regional. Essa também foi uma das pautas apresentadas ao governo durante o encontro – além do reajuste do auxílio transporte.

Segundo o governo, a falta do dia 29 de abril não deve ser retirada, de acordo com o secretário. No entanto, um projeto de lei que tramita na Alep visa abonar a falta desta data. A direção do sindicato ressaltou que isso vai afetar o cumprimento dos 200 dias letivos, por isso a importância da retirada da falta e reposição de conteúdos. Já em relação a paralisação de ontem, a posição do secretário chefe da Casa Civil e da secretária de Educação é que a falta não seja lançada e que haja a reposição das aulas.

Itens como a dobra de padrão, reconhecimento de direitos dos PSS, novo concurso público para professores(as), entre outros itens da pauta salarial, também foram debatidos na reunião e serão retomados em um próximo debate. O governo volta a alegar dificuldades financeiras para implementação de diversos itens da pauta e a direção do sindicato discordou desta justificativa. No próximo dia 14 de setembro, às 17h, a APP deve participar de uma reunião com integrantes da Secretaria da Fazenda para debater as finanças públicas do Estado e as saídas para os impasses.

Protesto

Centenas de professores da rede estadual de ensino se reuniram na tarde desta terça-feira (30), em ato que relembra os 28 anos da repressão policial sofrida pela categoria na Praça Nossa Senhora de Salete, em Curitiba. A mobilização acontece no mesmo lugar que, em 1988, a categoria foi dispersada com o uso de cães, bombas de efeito moral e cavalos por ordem do governo do estado.