Por Elizangela Jubanski e Daniela Sevieri

As últimas homenagens ao terceiro sargento Wellignton de Matos foram prestadas na manhã deste domingo (14). O corpo do militar foi em cortejo com um caminhão do Corpo de Bombeiros da Capela da Associação da Vila Militar (AVM), no bairro Rebouças, em Curitiba, até o Cemitério Jardim Colina, em Colombo. Com a presença da família, amigos e policiais militares, o sepultamento aconteceu às 11h30, em meio a consternação e tristeza.

Matos ficou quatro dias internado, mas não resistiu a um procedimento médico e morreu durante a madrugada deste sábado (13), no Hospital Evangélico de Curitiba. Ele era lotado nas Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), e foi para o hospital após ser baleado na perna durante confronto em Itaperuçu, na região metropolitana da capital.

Foto: Reprodução Facebook

Foto: Reprodução Facebook

O sargento Matos faleceu com 34 anos, tinha 10 anos de serviço na corporação e há dois estava no Bope. Ele deixou a esposa grávida de dois meses do primeiro filho.

Caso

O policial foi ferido na perna por arma de grosso calibre durante confronto no Jardim Itaú, em Itaperuçu. Segundo informações apuradas com a polícia, o Bope estava em uma operação na região quando foi surpreendido por um grupo armado. O tiro que atingiu o policial foi à queima roupa e ele caiu na hora.

O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado e encaminhou Mattos ao pronto-socorro do Hospital Evangélico. Durante o atendimento ao policial, o suspeito foi perseguido e morto, na Rua Edna Valente Curi. Identificado como Alan de Miranda, 20 anos, o jovem já tinha passagem pela polícia.

À Banda B neste sábado, o tenente-coronel Hudson disse que algumas pessoas já foram ouvidas sobre o caso e inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias do crime.