Uma mescla de comoção e revolta, esse era o sentimento de amigos e familiares que estiveram no velório do médico neurocirurgião do Hospital Pequeno Príncipe, Paulo Carboni Júnior, 54 anos, durante a tarde desta quarta-feira (20) em Curitiba. O médico foi baleado em um assalto em frente a sua casa, no bairro Mossunguê, e morreu a caminho da Unidade de Saúde do Campo Comprido.

De acordo com a enfermeira Soeli, que trabalhou com Carboni por cerca de 14 anos, ela soube da morte pelos veículos de comunicação e o sentimento de revolta prevalecia nela. “Ele era um homem muito bom e era nosso amigo, por mais de 20 anos ele salvou vidas de crianças”, disse.

Segundo Cléber, amigo da vítima, ainda não é possível mensurar a perda, já que ele era um pai muito responsável e presente. “Ele estava cheio de vida, era um garoto de 54 anos de idade, todos nós fomos pegos de surpresa com o caso”, disse.

Carboni foi velado na Capela Vaticano, nos fundos do Cemitério Municipal São Francisco de Paula.