Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

servidores14092013

Eles estavam com cartazes e narizes de palhaço. Foto: BH/Banda B

Servidores públicos de Curitiba se reuniram na manhã deste sábado (14) na Praça Santos Andrade, no centro da cidade, para protestar contra situações pontuais na educação infantil. Eles reivindicam melhores condições de trabalho e denunciam irregulares que acontecem dentro dos Centros Municipais de Educação Infantil. A Prefeitura de Curitiba negou as irregulares.

Cerca de 70 pessoas carregando cartazes e usando narizes de palhaço se encontram às 9 horas. Eles seguiram caminhando pelo centro e o destino seria a Rua XV de Novembro. De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), o CMEI Monteiro Lobato, no bairro Tatuquara, está tendo irregulares no fornecimento da alimentação. Pais e educadores teriam flagrado o caminhão responsável pela entrega de alimentação às crianças fazendo também o serviço de retirada dos lixos dos centros educacionais.

A coordenadora geral do Sismuc, Ana Paula Cosolino, disse, em entrevista à Banda B, que outras insatisfações foram estopim para o manifesto.  “É um abdursdo, pais e  professores estão revoltados. A comida privatizada custa R$ 0,95 por criança e o almoço R$ 2,85 e a maior parte da comida não cumpre os 30% de alimentos providos da agricultura familiar. Outros CMEI’s inaugurados, como o caso da Iodéia Felício, no Sítio Cercado, passa por reformas e ainda não atende”, criticou.

O empréstimo de educadores para outros CMEI’s também foi assunto questionado pelos servidores. Eles alegam que a falta de profissionais pode prejudicar o desenvolvimento das crianças.

Resposta

A Banda B entrou em contato com a prefeitura de Curitiba que alegou ser impossível dois serviços feitos pelo mesmo caminhão, sobre o fornecimento da comida. De acordo com a prefeitura, a empresa que presta serviço de alimentação às crianças é uma e a faz a coleta do lixo é outra. Também, a fiscalização quando aos alimentos é bastante rigorosa.

Sobre o CMEI Iodéia Felício, a prefeitura confirma que, embora tenha sido inaugurado ano passado, ele ainda não estava finalizado. A previsão é que ele seja entregue nos próximos meses, mas sem uma data definida. Ainda, os profissionais contratados são da rede municipal e tendo qualquer situação de realocação de educadores a prefeitura não vê como irregularidades, nem que isso seja característica de falta de profissionais.