Antônio Nascimento – Banda B

A Polícia Civil do Paraná apresentou na tarde desta quinta-feira (9) os resultados da operação PC-27 e a delegada Valéria Padovani, que atua no Grupo Auxiliar Financeiro (GAF), aproveitou para responder as recentes críticas do Ministério Público (MP), que é contrário à aprovação da PEC-37. O MP vem chamando o projeto de “PEC da Impunidade”, que pretende tirar o poder de investigação criminal dos Ministérios Públicos Estaduais e Federal, modificando a Constituição Brasileira. “É um absurdo chamarem a PEC assim, o que nós estamos fazendo é o nosso papel de polícia judiciária e esperamos que o MP continue fazendo o seu trabalho, que é de ser fiscal da lei, fazendo um controle externo da atividade policial”, disse.

Segundo a delegada, todas essas movimentações são uma falta de respeito com a Polícia Civil, que luta diariamente em favor da Constituição. “O que a sociedade espera é que as duas instituições façam bem o seu trabalho, mas o que acontece é que o MP corre o risco de deixar de fazer o seu direito para fazer o nosso”, afirmou.

Segundo a delegada, 303 pessoas foram presas durante a operação, que se desencadeou devido ao aniversário de 205 anos da Polícia Civil no Brasil. Apenas em Curitiba foram 54 presos. “Prendemos desde portadores de documentos falsos e autores de violência doméstica até grandes latrocidas e traficantes”, comentou.

O nome da operação PC-27 foi dado, segundo a Polícia Civil, para destacar a atuação nos 26 estados e no Distrito Federal