Da Redação

A duplicação da rodovia que liga Curitiba a Fazenda Rio Grande, na região metropolitana, será aberta parcialmente nos dias, segundo informe da Autopista Planalto Sul. As obras de duplicação do km 117,3 ao km 124,2 da BR-116, a Régis Bittencourt, começaram em outubro de 2011 e tem previsão para terminar parcialmente na segunda quinzena de setembro de 2013.

liberação-pista-130913Serão implantadas, após a liberação da pista duplicada, sinalização horizontal e defensas metálicas na pista sul. Haverá ainda serviços de pavimentação na pista existente e de barreiras rígidas entre as pistas.

Já foram instaladas também passarelas no km 127 e no km 129 em Fazenda Rio Grande e estão em obras outras duas, sendo uma no km 119+400 e outra no km 120+880, com previsão de conclusão em outubro/13.

Os retornos em desnível previstos no contrato de concessão estão localizados no km 116,5, km 117,7, km 127,5 e km 128,7.

Está prevista pelo Ippuc uma trincheira na Rua Vereador Ângelo Burbello, km 119 e pela Comec um trevo em desnível nas proximidades da Rua Jorge Tortato. Como o cronograma dessas obras é posterior ao final da duplicação, a concessionaria irá executar provisoriamente dois retornos em nível, permitindo que os moradores dos bairros do entorno possam retornar em locais menos distantes da rodovia duplicada.

Estes retornos em nível estão em fase de detalhamento do projeto executivo e em processo de contratação das obras.

Liberação parcial

A concessionária fará no mês de setembro a liberação parcial da pista dupla sentido Norte, a fim de evitar conflitos com a execução destas futuras obras a serem iniciadas. Deste modo, o primeiro segmento a ser liberado ao tráfego na pista nova será do km 123 ao km 124,7 na divisa de Fazenda Rio Grande.

Com previsão para o mês de outubro, o segundo segmento será liberado ao tráfego no lado de Curitiba, do km 119 ao km 117, melhorando a fluidez do tráfego da rodovia.

Estão previstos também no contrato de concessão, dispositivos em desnível que possibilitam retorno nos km 116,5 (Distrito Industrial/CEASA), 117,7 em Curitiba, km 127,6 e km 128,5 (em Fazenda Rio Grande). Hoje o usuário que trafega nesse trecho convive com grandes congestionamentos e riscos de acidentes, essa obra aumenta a capacidade da via, estando dimensionada para os níveis de serviço previstos em contrato.

A situação atual do trecho Curitiba – Fazenda Rio Grande além dos congestionamentos diários, apresenta número de acidentes elevado, com a duplicação e a implantação de trevos em desnível a rodoviase tornará mais segura. Os cruzamentos serão todos em trevos completos em desnível, com alças, sem semáforos, exceto no km 119 e km 123que serão provisórios.

O valor da obra de duplicação é R$ 36 milhões para as duas etapas que inclui Mandirituba.

A segunda etapa da duplicação já começou com serviços de terraplenagem como a limpeza vegetal do km 131 até o km 141 / PR.