Por Redação

O doleiro Alberto Youssef, que está internado desde sábado (25) no Hospital Santa Cruz, em Curitiba, não apresentou alterações no quadro durante a noite de domingo (26) e madrugada desta segunda-feira (27). O último boletim, divulgado ao meio-dia desta segunda-feira, os médicos informam que a saúde de Youssef permanece estável, mas não há previsão de alta.

Houve boatos de que ele teria sido envenenado, no entanto isso foi completamente descartado pela Polícia Federal (PF). Por volta das 13 horas de sábado, os policiais entraram em contato com o Samu, que enviou uma equipe médica à sede da PF. No entanto, o doleiro continuou a passar mal e foi escoltado por policiais até o hospital. Youssef foi levado de ambulância até o hospital.

yousse(Foto: Reprodução)

É a quarta vez que o doleiro precisa ser transferido para um hospital desde que foi preso pela Operação Lava Jato.

Boatos

Por meio de nota, a Polícia Federal informou que Youseef passou a noite bem e que os boatos de envenenamento são infundadas. Ele é cardiopata e passou mal devido aos remédios do tratamento cardíaco. Há escolta policial no hospital durante 24 horas. Outros policiais e um delegado fazem também escolta interna, ou seja, dentro do hospital até a alta médica que está programada para esta segunda-feira (27).

A Prefeitura de Curitiba também emitiu nota oficial sobre o atendimento ao doleiro. De acordo com a prefeitura, o atendimento do Samu aconteceu às 14h03 deste sábado. A ambulância do Samu foi escoltada por policiais até o Hospital Santa Cruz. O atendimento foi finalizado às 16h45. Durante o encaminhamento, o paciente referiu dor torácica, sendo dois episódios ao repouso, associados a um episódio de síncope. Estava consciente, lúcido e orientado, com dados vitais estáveis. O diagnóstico foi uma angina instável.

Denúncias

Em 2004, o doleiro foi denunciado pelo MPF (Ministério Público Federal) por crimes contra o sistema financeiro nacional e condenado a sete anos em regime semiaberto e ao pagamento de uma multa equivalente a 9.568 salários mínimos. Então proprietário da empresa Youssef Câmbio e Turismo, ele havia sido indiciado por crimes contra a ordem tributária e contra o sistema financeiro (evasão de divisas, manutenção de contas ilegais no exterior e falsa identidade para a realização de operações de câmbio), formação de quadrilha e falsidade ideológica.

Youssef foi preso em um hotel no Maranhão no dia 17 de março após uma grande operação intitulada Lava Jato.

Notícia Relacionada:

Doleiro Youssef passa mal e é internado em hospital de Curitiba; boato de envenenamento é descartado