Da Sesp-PR

(Foto: Divulgação – EBC)

Dois homens que estavam foragidos da Operação “Pane Seca” se entregaram na noite desta segunda-feira (27) no Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), unidade de elite da Polícia Civil do Paraná. O empresário Onildo Chaves de Cordova II, de 36 anos, e Cristiano Brunquell, de 42, são suspeitos de envolvimento num esquema criminoso de fraude em abastecimento de combustível. Agora são oito os detidos na ação policial e quatro permanecem foragidos.

No último sábado, o Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep) deflagrou a operação “Pane Seca” que prendeu integrantes de duas quadrilhas suspeitas de participação na fraude.

A fraude consistia na instalação de dispositivos nas bombas, os quais são responsáveis por interromper o fluxo de combustível efetivamente expelido pelas bombas, sem que haja interrupção na medição da quantidade de litros a ser paga pelo consumidor.

Assim, a quantia de combustível de fato inserido nos tanques dos veículos de consumidores seria inferior (de 6% a 8%) ao registrado nas bombas, fazendo com que os clientes paguem valores a maior em cada abastecimento. Estes dispositivos, segundo a investigação, poderiam ser ativados remotamente – o que dificultaria a atuação dos órgãos fiscalizadores.

Ainda de acordo com a investigação, Cordova II seria dono de quatro postos de gasolina onde foi detectada a fraude na quantidade de combustível que entrava no tanque dos veículos. Além disso, laudos mostram que foi encontrada metanol na gasolina e uma quantia de álcool superior a permitida em lei.

Ainda segundo o Diep, a organização criminosa deixava de abastecer de 6% a 8% do que era solicitado pelos motoristas. Já Brunquell seria o braço direito de Cordova II e dos responsáveis pelo sistema de adulteração da placa instalada nas bombas.

A prisão deles é temporária e válida por 5 dias, podendo ser prorrogada por igual período ou convertida em preventiva.