Da SMCS

Às vésperas do Dia Mundial dos Animais, comemorado nesta sexta-feira (04), o Zoológico de Curitiba ganhou mais um ilustre habitante. Na última terça (1º), a hipopótamo Charlene deu à luz uma filhote de aproximadamente 40 quilos. Por questão de segurança e proteção da recém-nascida, ela está abrigada na área de manejo do Zoo, ao lado de sua mãe, e, por enquanto, não pode ser vista pelos visitantes.

hipopótamo bebe

Foto: SMCS

A expectativa é de que, daqui a um ano, a filhote alcance o peso aproximado de 250 quilos. Hipopótamos são considerados o terceiro maior mamífero terrestre do planeta. Charlene, assim como sua cria, nasceu no Zoológico de Curitiba, há 10 anos. No local, moram também a irmã e os pais de Charlene.

Além da família de hipopótamos, o Zoológico de Curitiba conta com aproximadamente 1,8 mil animais de 130 espécies – entre aves, peixes, mamíferos e répteis, exóticos e nativos. Entre as principais atrações estão onças, tigres, leões, antas, urso, girafas e lhamas, além de muitos outros animais.

Instalado numa área de 500 mil metros quadrados, no Alto Boqueirão, o Zoológico de Curitiba é administrado pelo departamento de Pesquisa e Conservação de Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e recebe em média 600 mil visitantes a cada ano.

Balanço

No Dia Mundial dos Animais, o departamento de Pesquisa e Conservação de Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente faz um balanço e comemora avanços recentes, especialmente nas áreas de combate aos maus tratos, educação com foco na proteção animal, castrações e microchipagem.

Desde o início do ano, a Rede de Proteção Animal, da Prefeitura de Curitiba agilizou o atendimento às denúncias de comércio irregular e maus tratos, recebidas pelo fone 156. As esperas foram zeradas e o prazo máximo para atendimento de novas denúncias passou a ser de dois dias úteis.

“Antes este prazo era de 20 a 25 dias e hoje atendemos rapidamente as denúncias de maus tratos a animais”, explica o diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação de Fauna, Alexander Biondo.

Ele informa que, desde o início deste ano, o fortalecimento da Rede de Proteção Animal e a criação da Guarda Municipal de Proteção Animal fizeram com que houvesse um aumento de 80% no número de denúncias registradas através do fone 156.  “A média era de 15 denúncias por dia e agora temos cerca de 25 denúncias diárias”, informa Biondo.

Outras ações são o incentivo às adoções e a microchipagem gratuita de animais, o que acontece mensalmente nas feiras Amigo Bicho, realizadas no Parque Barigui. Na edição mais recente, 66% dos animais disponíveis foram adotados 360 animais tiveram o microchip implantado gratuitamente.

Outra preocupação da Rede são os cães de rua que vivem nos terminais de ônibus de Curitiba. O projeto Cão Comunitário, lançado no primeiro semestre deste ano, prevê a identificação, castração e vacinação destes animais. O projeto conta com recursos de R$ 200 mil, aprovados pela Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná (FAP), e está sendo executado em parceria entre a Prefeitura de Curitiba e a Universidade Federal do Paraná (UFPR).