Da Assessoria

Nesta sexta-feira (8) é comemorado o Dia Internacional do Pedestre. A data é uma lembrança do cuidado que motoristas, motociclistas e ciclistas devem ter com quem está a pé e que divide o espaço nas ruas. Mas se no trânsito somos todos pedestres, o Departamento de Trânsito do Estado (Detran) preparou dicas simples, que devem ser adotadas no dia a dia para garantir a segurança de todos:

– O trânsito é um ambiente coletivo, mantenha-se atento aos demais: Nas ruas o maior sempre deve cuidar do menor, mas não significa que os menores não tenham responsabilidades. Os ônibus e caminhões cuidam com os carros, que cuidam com as motos e bicicletas. E todos cuidam do pedestre, que também deve cuidar de si mesmo.

DCIM100GOPRO

(Foto: Divulgação DETRAN-PR)

Dados do último Anuário Estatístico de Trânsito divulgado pelo Detran mostram que das 58.220 vítimas de acidentes de trânsito registrados no Estado em 2013, mais de 4 mil eram pedestres.

– Preste atenção no trânsito, evite o uso de fones de ouvido e aparelhos celulares enquanto anda: “As condições de visão, audição e reflexos são importantes para a segurança. Ouvir música enquanto atravessa uma rua, por exemplo, te impede de ouvir a buzina de um carro. Olhar para o celular pode fazer que você não veja uma moto fazendo a conversão, ou tantas situações comuns que poderiam ser evitadas”, conta a chefe de Divisão de Programas Educativos do Detran, Noedy Bertazzi.

– Olhe bem para os dois lados e antes de atravessar a rua, mesmo que a via seja de mão única e você esteja na faixa de pedestres, tenha certeza que o motorista está vendo você: Atravesse sempre na faixa e respeite a sinalização, mas nunca deixe de conferir se o motorista ou motociclista percebeu seu movimento.

– Use sempre a faixa ou passarela e, se não for possível usa-las, procure um trecho de onde possa ver as duas esquinas mais próximas ou tenha boa visão da rodovia: Nos pontos sem faixa de pedestre, passarela, ou sinalização especifica, busque alternativas seguras. Cuidado redobrado, principalmente nas estradas. Entre as 337 mortes por atropelamento registradas no Estado, 74 aconteceram nas rodovias estaduais e 166 nas federais, enquanto 97 foram nas vias municipais.

– Não passe pelo meio dos carros parados no semáforo e evite passar por trás de ônibus, bancas de jornal ou qualquer outro empecilho que dificulte a visão de quem estiver dirigindo: Na cidade, a maior parte dos atropelamentos resulta em ferimentos. No Paraná, no ano passado, 3.950 pedestres foram vítimas não fatais em acidentes de trânsito, sendo que, destes, 2.317 estavam em vias municipais do interior e 921 na capital. As estradas, federais e estaduais, registraram 712 feridos em atropelamentos no mesmo período.

– Respeite a sinalização e ande sempre pela calçada: Não tenha pressa no trânsito, principalmente nas grandes cidades. Em Curitiba, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) revela que o número de atropelamentos cresceu 5% na comparação entre o primeiro semestre de 2013 (352) e o mesmo período de 2014 (370). De janeiro a junho deste ano, 437 pedestres ficaram feridos e 5 morreram na capital.

– Se você é o motorista, tenha paciência com os pedestres de mais idade: Nem sempre o tempo do semáforo é suficiente para concluir a travessia. Dados do BPTran apontam que a maioria de pedestres feridos em Curitiba, em 2014, são homens com mais de 60 anos.