estadao_conteudo_cor-4

A Turquia declarou um dia oficial de luto neste domingo, após duas explosões terem matado 38 pessoas e ferido 155 perto do estádio de futebol Besiktas, em Istambul.

Os ataques, que ocorreram no sábado à noite, tinham como alvo policiais, sendo que 30 das vítimas são da corporação, além de sete civis e uma pessoa não identificada, de acordo com informações do ministro do Interior, Suleyman Soylu. Ele afirmou que 13 pessoas foram presas em conexão com o que o chamou de “ataque terrorista”.

Nenhum grupo assumiu a autoria das explosões, entretanto, duas autoridades afirmaram que as suspeitas recaem sobre militantes curdos.

O vice-primeiro ministro, Numan Kurtulmus, disse ao canal de televisão CNN que os “indícios apontam para o PKK”, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, classificado como ilegal. Os curdos lutam pela independência há décadas na região.

“Nós testemunhados mais uma vez essa noite em Istambul a face terrível do terror, que quer destruir todos os valores e a decência”, disse o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

Soylu divulgou que 136 pessoas permanecem hospitalizadas após os ataques, incluindo 14 que estão na UTI.

A primeira e maior explosão ocorreu cerca de 19h30, após o time Besiktas ganhar a partida de futebol do Bursaspor. Segundo Erdogan, o momento do ataque tinha o objetivo de maximizar as mortes.

Entretanto, o número de mortes não foi tão extenso porque a maioria das pessoas já havia deixado o estádio quando ocorreram as explosões. Segundo testemunhas, também foram escutados tiros no momento.

De acordo com Soylu, a primeira explosão foi causado por um veículo que passou e foi detonado em uma área na qual estavam concentrados policiais, na saída do estádio. Fonte: Associated Press.