PMPR

A Polícia Militar do Paraná registrou 19 ocorrências com encaminhamento de 31 pessoas por crimes ou delitos eleitorais no Paraná, as quais resultaram em 10 prisões em flagrante, 01 flagrante de ato infracional e 20 Termos Circunstanciados (TCs). Também foram registrados 07 orientações no local (quando a PM vai até a situação e orienta as partes não havendo necessidade de detenção) e 07 fatos não constatados (quando a PM é acionada, vai até o local, mas não existe a situação relatada). Os dados são do Projeto Nereu, vinculado à Seção de Planejamento da Polícia Militar do Paraná e foram divulgados às 15h45 deste domingo (26/10).

As pessoas foram encaminhadas pelos seguintes crimes ou delitos: venda e/ou consumo de bebida alcóolica (Ampere, Arapongas, Campo Mourão, Cruzeiro do Oeste, Ibaiti, Irati, Nova Tebas e Tapejara), desobediência à ordens ou instruções da Justiça (Guiracá), divulgação de propaganda de partidos políticos/candidatos (Ponta Grossa), violação do sigilo do voto (São José dos Pinhais).

A “Operação Eleições” foi lançada às 7h de sábado (25/10), com intensificação no policiamento durante a distribuição das urnas eletrônicas nos colégios eleitorais e segue até após o término do pleito. A PM visa garantir o direito de votação de todos os cidadãos paranaenses e age quando flagra alguma situação ilícita envolvendo crimes eleitorais ou quando é chamada para dar atendimento e constata o fato. Com efetivo de 8.980 policiais militares aplicado durante todo o domingo, a PM triplicou o número de policiais nas ruas para fortalecer a segurança em todos os 399 municípios do estado.

“Com o esquema de segurança que estruturamos, unindo as forças policiais, esperamos que a eleição transcorra na mais absoluta tranquilidade, a exemplo de como foi no primeiro turno. Não estamos admitindo irregularidades, como boca de urna e transporte irregular de eleitores”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Leon Grupenmacher.
“A PM está atuando em consonância com a lei eleitoral, de maneira integrada, apoiando a justiça eleitoral nas questões pertinentes”, garante o coronel Péricles. A PM está presente em todos os colégios eleitorais do Estado com um efetivo total de 8.980 policiais militares, dos quais 1.432 atuarão na capital e 1.254 na região metropolitana (RMC) e litoral.

Abaixo as principais ocorrências desse domingo:

13h30 – Uma mulher foi flagrada por policiais militares do 20º BPM (Curitiba) trafegando em uma moto Honda Fit com adesivos eleitorais e instigando outras pessoas a votarem num determinado candidato em frente ao colégio estadual Santa Rosa, localizado na rua Amilton Portugal Pereira, no bairro Cajuru, em Curitiba. Ela foi abordada pelos policiais e presa, sendo encaminhada para as medidas cabíveis.
10h30 – Em Maringá (PR), os policiais militares do 4º BPM, um homem foi flagrado fazendo propaganda de um candidato em frente a um colégio eleitoral. Ele foi preso e encaminhado ao Forum Eleitoral da cidade para as medidas cabíveis.

9h45 – Em Cruzeiro do Oeste (PR), equipes do 7º BPM receberam informações de que um vereador da cidade estaria comercializando bebidas alcóolicas em seu estabelecimento comercial (bar) próximo à Estação Rodoviária. Uma equipe da PM avistou um homem ingerindo bebida alcóolica em frente ao local. Segundo as informações da unidade, o estabelecimento estava com as portas abertas e foram abordados mais três homens fazendo o ato ilícito. O dono do bar disse que estava limpando o local quando os homens chegaram, e ofereceu bebidas para eles. Diante da situação, os quatro homens foram presos e encaminhados, juntamente com as bebidas, até a delegacia de Cruzeiro do Oeste, para os procedimentos cabíveis.

9h30 – Um homem de 47 anos foi encaminhado por policiais militares da escola municipal Issa Nacli, no bairro Uberaba, em Curitiba, por causar tumulto no local. O rapaz estaria embriagado e tentou acessar o local de votação, mas foi orientado pelos policiais militares que retornasse depois de estar sóbrio. O homem se recusou a sair e tentou criar mais tumulto. Diante da situação, o rapaz recebeu voz de prisão e foi encaminhado até o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), onde o juiz eleitoral entendeu não se tratar de crime eleitoral. Então, os policiais encaminharam o homem ao Ciac-Sul, para os procedimentos cabíveis.

Sábado: 04h40 – Policiais militares do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM) receberam informações de que um colégio eleitoral teria sido arrombado na rua Danúbio, no bairro Chapada, em Ponta Grossa. Uma equipe foi até o local para verificar a denúncia e encontraram algumas portas internas e uma porta externa danificadas durante a noite. A sala onde estavam as urnas eletrônicas não foi violada devido à segurança.

16h – Equipes do 1º BPM atenderam outra situação em uma escola municipal em Ponta Grossa, localizada na avenida Jaguariaíva, no bairro Jardim Primavera III. Denúncias enviadas à PM relatavam que adolescentes teriam arremessado pedras nas janelas. A equipe da PM foi até o local e não encontrou nenhum suspeito. Nenhuma urna eletrônica foi danificada.

EFETIVO – Durante o pleito eleitoral cada um dos seis Comandos Regionais da PM conta com um número de efetivo policial que será dividido nas zonas eleitorais (todos os municípios), além de suas cidades sedes. O 1º Comando Regional da PM (1º CRPM/Curitiba) usa um efetivo de 1.432 mil policiais militares, exclusivos para as eleições, em todas as áreas de votação, além do efetivo de área. O 2º Comando Regional da PM (2º CRPM/Londrina) conta com 1.677 policiais militares. O 3º Comando Regional da PM (3º CRPM/Maringá e região) tem 1.576 policiais militares.

O 4º Comando Regional da PM (4º CRPM/Ponta Grossa e região), por sua vez, conta com 1.115 policiais militares. O 5º Comando Regional da PM (5º CRPM/Cascavel e região) usa um efetivo de 1.465. No 6º Comando Regional da PM (6º CRPM/RMC e litoral) são 1.254 policiais militares, que agirão na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e litoral do Estado.

“A PM colocou à disposição policiais para passarem a noite próximos aos colégios eleitorais após a distribuição das urnas para que nada de errado ocorra”, explica Péricles. Juntamente com cada juiz eleitoral, está um oficial da Polícia Militar. Em Curitiba, a PM tem uma central dentro do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e outra na Secretaria de Segurança Pública com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICCR).