Por SMCS

Na primeira semana de fiscalização da Vigilância Sanitária Municipal para recolhimento de produtos de alisamento capilar nos salões de beleza de Curitiba, dez marcas de produtos foram apreendidas pelos técnicos. Os estabelecimentos que estavam utilizando os produtos foram autuados.

Na semana passada, a Secretaria Municipal da Saúde divulgou uma relação com onze marcas de produtos utilizadas no mercado curitibano e que foram reprovadas para uso. Os cabeleireiros de Curitiba foram informados ainda na segunda-feira (24) para não utilizar estes produtos, entretanto a recomendação não foi seguida por alguns profissionais e salões.

Entre os produtos reprovados pela Vigilância, oito deles apresentaram índices de formaldeído (formol) acima do permitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os outros três estavam com a rotulagem em desconformidade com as normas estabelecidas. Produtos para cabelo podem conter um índice máximo de 0,2% de formol, quantidade insuficiente para fazer o alisamento, destinada apenas para a conservação do material.

“Os salões que continuam usando esses produtos estão sendo autuados e, em casos de reincidência, podem ser multados e até interditados”, afirmou o diretor do Centro de Saúde Ambiental da Secretaria, Luiz Armando Erthal. A partir desta segunda-feira (01), as inspeções nos salões de beleza entram na rotina da Vigilância Sanitária Municipal.

Efeitos colaterais

Entre os principais malefícios causados pela utilização inadequada do formol estão a irritação, coceira, queimadura, inchaço, descamação e vermelhidão do couro cabeludo, queda de cabelo, ardência e lacrimejamento dos olhos, falta de ar, tosse, dor de cabeça, ardência e coceira no nariz, devido ao contato direto com a pele ou com o vapor. Já o uso contínuo dos produtos pode causar também boca amarga, dores de barriga, enjoo, vômitos, desmaios, feridas na boca, narina e olhos, e câncer nas vias aéreas superiores (nariz, faringe, laringe, traquéia e brônquios), podendo levar à morte.

A Anvisa também já foi comunicada para promover o recolhimento dos produtos em todo território nacional.

Foram reprovados os seguintes produtos: Tratamento Capilar Marroquino Cítrico (Biotype Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda.); Máscara Reconstrutora Catiônica Lindorel (Le Pieri Cosméticas Ltda.); Lisse Tratamento Capilar Europeu Etapa 2 (Peniel); Nectariumanti-volume 2 (Alzira MannrichKindlein ME); Kera-X Restauração Instantânea – Agi Max (RH Cosméticos); Tratamento de Queratina Boost K Hair (MilevaGroupe); Tratamento Capilar Marroquino Inoar (Biotype Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda.); Recondicionador Térmico Express London (Mary Hill Perfumes Ltda.); Gel Redutor Suaviza Cachos e Volumes (Eiffel Cosméticos); Condicionador Tratamento Progressivo Elegance/Sofistik In Hair (Alquiminas Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda.) e Selante Máscara Reconstrutora/Eiffel Cosméticos (Farmoderm Cosméticos Ltda.

Relembre a primeira fiscalização feita em salões clicando aqui.