Por Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira

Ônibus continuam lotados e filas gigantescas. (Fotos: Rubia Albino/Colaboração Banda B)

A mudança no ônibus da linha Aeroporto, que liga São José dos Pinhais a Curitiba, não agradou muito os passageiros desde que entrou em vigor nesta segunda-feira (10). De acordo com relatos enviados à Banda B, o trajeto agora demora quase o dobro do que antes e os coletivos continuam superlotados.

“Ontem foi uma bagunça, um dia de caos. Quem pega ônibus diariamente sabia das alterações, mas os outros estavam totalmente perdidos. Na hora de voltar para casa, todos foram pegos de surpresa e tiveram que sair correndo e trocar de tubo. A fila estava enorme e os ônibus lotados”, reclamou a secretária Rubia Albino, moradora de São José, em entrevista à Banda B nesta terça-feira (11).

Ontem, ela pegou o ônibus para ir ao trabalho às 7h30 e só chegou ao destino quase duas horas depois. “Foi muito demorado, o trânsito estava horrível. Quando eu desci para embarcar no Boqueirão/Centro Cívico, o coletivo também estava muito lotado. Eu não aprovei essa mudança nem um pouco”, completou.

Além dos problemas na linha Aeroporto, Rubia ainda reclamou do fechamento da canaleta na Avenida das Américas, que liga São José ao Boqueirão. “Queria saber se há alguma previsão para liberar essa canaleta. Eu não entendo por que não abrem. Agora, terei que acordar bem mais cedo para chegar no horário e sair antes do trabalho para conseguir acertar o horário do ônibus”, finalizou.

Sobre a canaleta, a reportagem entrou em contato com a prefeitura de São José dos Pinhais, que informou que estas obras fazem parte do PAC da Copa 2014, realizadas pelo Governo Estadual com recursos federais e ainda não foram finalizadas e nem entregues ao município.

Justificativa da Comec

O diretor de transportes da Coordenação da Região Metropolitana (Comec), Marcos Scheremeta, afirmou ontem à Banda B que as alterações na linha Aeroporto tiveram como principal objetivo diminuir o tempo perdido no trânsito e otimizar o trajeto. “A ideia é fazer a integração com o terminal mais perto da cidade de onde a linha parte. Logicamente, isso dá um melhor deslocamento metropolitano”.

De acordo com ele, a linha Aeroporto faz, em média, 35 partidas por dia nos dois sentidos. A principal utilização dos usuários, no entanto, era urbana – ou seja, dentro de Curitiba.

“Os estudos registraram uma participação de menos de 15% no transporte metropolitano. As pessoas que pretendem andar apenas dentro da capital podem usar outras linhas já existentes para isso. Há, por exemplo, o ligeirão Boqueirão e o Boqueirão/Centro Cívico”, completou.

Leia a reportagem completa abaixo: