Por Marina Sequinel

stefani-agnoletto3Polícia não tem pistas sobre o que aconteceu com a adolescente. (Foto: Reprodução/Facebook)

O desaparecimento da adolescente Stefani Agnoletto Vieira Lopes, de 16 anos, completou um ano neste domingo (7). Segundo os familiares, ainda não há pistas sobre o paradeiro da jovem, que saiu de casa com R$ 20 no bolso para comprar pão e nunca mais foi vista. Ela morava no Parque do Embu, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba.

stefani-agnolettoStefani saiu de casa para comprar pão e nunca mais foi vista. (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo a tia da adolescente, Janete da Silva Lopes, a família continua desesperada, sem saber o que aconteceu. “O delegado disse que não tem nenhuma novidade e que já fez tudo o que era possível. Nós achávamos que em pouco tempo o caso fosse solucionado, mas não temos nada até agora”, relatou ela em entrevista à Banda B.

Durante as investigações, a Polícia Civil chegou a rastrear o celular da jovem, que teria sido ligado duas vezes após o desaparecimento. Na primeira vez, o aparelho apontou que ela estaria ainda em Colombo. Já na segunda, a localização indicava as proximidades da Rua Amintas de Barros, próximo ao Terminal do Guadalupe, no Centro de Curitiba.

Essas informações, no entanto, não foram suficientes para encontrar Stefani. “É até difícil falar sobre isso, já faz um ano. Eu espero que ela esteja viva, mas eu não sei. Não faço ideia do que aconteceu”, finalizou Janete.

Sobre o caso, a reportagem entrou em contato com a Polícia Civil, que enviou a seguinte nota à imprensa:

A Polícia Civil continua nas investigações a procura de Stefani Agnoletto Vieira Lopes, de 15 anos, que desapareceu no dia 07/08/15, na cidade de Colombo. O delegado responsável pelo caso, Erineu Sebastião Portes, já ouviu mais de 50 pessoas, entre parentes, amigos e professores. Diversos locais já foram averiguados através de denúncias, para verificar pistas do possível paradeiro de Stefani, inclusive, várias diligências já foram realizadas durante este ano, porém sem sucesso. No momento o Inquérito Policial (IP) foi encaminhado à Justiça para a solicitação de prazo e até a presente data, não há novidades sobre o caso.

Notícias relacionadas