Por Marina Sequinel

(Fotos: Carlos Guimarães/Colaboração Banda B)

A derrubada de araucárias em um terreno no bairro Mossunguê, em Curitiba, mobilizou os internautas das redes sociais neste fim de semana. As árvores foram cortadas entre a noite de sexta-feira (16) e a madrugada de sábado (17) na Rua Deputado Heitor Alencar Furtado. De acordo com a prefeitura da cidade, a ação foi autorizada previamente conforme a lei.

“Sou morador da região e estou acompanhando as etapas da construção de um empreendimento no terreno. Eu tirei uma foto do local no começo do ano, quando eles iniciaram os cortes para preparar o espaço, mas preservaram as araucárias. Agora acontece isso”, disse Carlos Guimarães à Banda B.

Segundo ele, no sábado de manhã, duas viaturas da Polícia Militar estiveram no local após receberem denúncias dos moradores da região sobre o caso. No Facebook, um internauta postou na página da prefeitura um pedido para que as justificativas dos cortes de árvores sejam disponibilizadas na internet antes de eles serem realizados.

“Qualquer cidadão tem o direito de constatar, com os seus próprios olhos, se as justificativas são compatíveis com aquilo que as nossas leis autorizam. Sem a implementação de medidas efetivas de transparência pública na gestão ambiental, ficaremos aqui eternamente relatando casos e mais casos de descasos com o que ainda resta das nossas áreas verdes”, afirmou o depoimento.

Resposta

Procurada pela Banda B, a prefeitura de Curitiba informou que o corte de 92 árvores e de quatro araucárias foram autorizadas no terreno citado pela reportagem, o que representa 30% da área, conforme determinação legal. Segundo nota, para isso, a construtora comprometeu-se a preservar 7.400 metros quadros de um bosque no terreno, referente aos outros 70% da área. Além disso, foi imposta como medida mitigadora o plantio de 276 mudas de árvores nativas orientado pelos técnicos da secretaria.