O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) deu prazo de 15 dias, a contar de quarta-feira (13), para a Concessionária Travessia de Guaratuba (CTG) apresentar o plano de trabalho dos próximos 12 meses para melhorar a infraestrutura do ferryboat, como balsas e flutuantes. A medida integra as ações do DER para obrigar a concessionária a cumprir o contrato.

“Na gestão do governador Beto Richa, o DER está sendo mais rígido com a concessionária CTG. Foram aplicadas várias multas e notificações, inclusive reduzindo a tarifa. Caso a empresa não cumpra o prazo para apresentar o plano de trabalho, o governo tomará sanções mais graves, que podem chegar a rescisão do contrato”, adverte o diretor-geral do DER, Nelson Leal Júnior.

Desde o início da gestão, o consórcio CTG acumula com o governo R$ 222 mil em multas por não cumprimento das ações. Além disto, houve a redução da tarifa básica do ferryboat de R$ 5,90 para R$ 4,80, penalizando o consórcio. Somente no ano passado, o Consórcio Travessia de Guaratuba levou 13 infrações pelo descumprimento referente à passagem de caminhões com mais de três eixos nos feriados e fins de semana.

FISCALIZAÇÃO – Leal Júnior explica que o DER ampliou a fiscalização ao ferryboat, com fiscais 24 horas em Guaratuba, para aplicar penalidades por descumprimento das regras do contrato. Estas medidas estão sendo tomadas para melhorar a segurança e o conforto dos usuários na travessia. “Temos o cuidado de fornecer informações ao Ministério Público, para que o órgão nos ajude na fiscalização do ferryboat”, disse o diretor-geral.

Antes mesmo da Operação Verão, que iniciou os preparativos em agosto, o DER contratou o engenheiro naval Geert Pranges, que emitiu laudo das condições do ferryboat e flutuantes. Com base neste relatório, encaminhado ao Ministério Público, o DER conseguiu a reparação dos equipamentos, garantindo a segurança dos motoristas ao longo da temporada.

“Os próximos passos são de retirada dos flutuantes e recuperação das pontes e das balsas. Para tudo isto, o governo quer a definição de prazos pela CTG”, disse o diretor de Operação, Gilberto Loyola.

BOX – Multas anuais aplicadas à CTG

2009 – R$ 8.250,08

2010 – R$ 16.000,00

2011 – R$ 18.840,58

2012 – R$ 195.543,44