Por Denise Mello e Luiz Henrique Oliveira

fotoAlagamento na Rua Saldanha Marinho, no Centro de Curitiba (Foto: Banda B)

Após um domingo de sol forte e muito calor, uma forte chuva castigou Curitiba no final da tarde. Por volta das 18 horas, uma tempestade deixou várias ruas alagadas e um prejuízo imenso para motoristas que viram seus carros boaiarem tamanha a força da água. Internautas enviaram vídeos e fotos para a Banda B.

Umas das imagens mostra a Rua Visconde Nacar, no centro de Curitiba, totalmente tomada pela enxurrada. Apenas o ônibus ligeirinho conseguia passar e formava ondas que batiam nas portas do comércio e moviam os carros estacionados, que boiavam sem controle.

A mesma situação foi registrada na Rua Saldanha Marinho, próximo à Praça da Espanha. Em poucos minutos a água tomou conta da quadra e alagou os veículos estacionados. O alagamento durou cerca de 20 minutos. Em pouco tempo a água baixou e daí foi a hora de ver o estrago. “Jamais imaginei que meu carro iria ficar todo cheio de água assim. Deixei estacionado de forma regular na rua e encontro tudo perdido. É um absurdo a gente ter que passar por isso”, afirmou o publicitário Jaime Vieira, que encontrou seu veículo UP zero totalmente cheio d’água.

Internautas também registraram alagamentos na Rua Salustiano Cordeiro, no bairro Água Verde, atrás do cemitério. As imagens são de Marlize Hendges, feitas de dentro de uma pizzaria na região.

Chuva forte

De acrodo com o Simepar, em pouco mais de uma hora choveu cerca de 20,7 milímetros em Curitiba.Na quarta-feira (4), a chuva que caiu no fim da tarde e alagou vários pontos, principalmente no Hugo Lange e Alto da XV, alcançou um volume de 37,8 mm de água em quatro horas, o que representa muita chuva para um período tão curto.

Previsão

Novas tempestades devem acontecer nos próximos dias, segundo o Simepar. O tempo segue instável pelo menos até sexta-feira (13)

“O sol predomina no Estado e as temperaturas apresentam elevação significativa no decorrer do dia em todas as regiões paranaenses. À tarde a instabilidade aumenta em decorrência do aquecimento e umidade, e novamente há condição de chuvas rápidas. Em alguns pontos as precipitações devem ser fortes, acompanhadas por trovoadas”, informa o Simepar.