Para garantir que todos os grupos considerados prioritários atinjam a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, a campanha de vacinação contra a gripe foi prorrogada até o dia 10 de maio. Neste sábado (27), a vacina estará disponível para a população em 43 postos móveis instalados em locais de grande movimento de Curitiba, como supermercados, restaurantes, igrejas e unidades de pronto-atendimento. O Passeio Público, onde haverá uma série de atividades culturais e de lazer, a Vinada Cultural, também terá uma unidade de vacinação.

Curitiba já atingiu a meta da campanha de vacinação entre dois grupos prioritários: os idosos (81,49% da população acima de 60 anos) e as mães que tiveram filhos há menos de 45 dias (94,03%). Porém, entre as gestantes, a cobertura até agora é de 63,92% e entre as crianças com idade de seis meses a 2 anos chega a 65,55%.

“O principal objetivo agora é conscientizar estes dois grupos [gestantes e crianças de até 2 anos] de que a vacina não causa efeitos colaterais, exceto uma pequena dor no local da aplicação”, salienta o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria, Moacir Pires Ramos.

Clique aqui para ver a relação dos locais e o horário de funcionamento destes postos móveis de vacinação

Até quinta-feira (25), foram aplicadas 278.040 doses da vacina em Curitiba. Entre os grupos prioritários, foram aplicadas 203.578 doses, numa cobertura de 78,05% entre os que possuem metas estabelecidas.

O secretário municipal de Saúde, Adriano Massuda, destaca que mesmo com os bons índices obtidos até agora, a Secretaria Municipal da Saúde está reforçando o trabalho e prorrogando a vacinação para imunizar o maior número de pessoas, segundo as diretrizes do Ministério da Saúde. “A vacina é uma importante ferramenta para combater os vírus que causam doenças e problemas respiratórios, principalmente nos meses mais frios do ano aqui na Região Sul. Os grupos prioritários são definidos de acordo com a capacidade de resposta para combater esses vírus e, por isso, é fundamental responder à convocação do Ministério”, comenta.

Conscientização

Curitiba recebeu 460 mil doses da vacina e a expectativa do Ministério da Saúde é de que pelo menos 380 mil pessoas sejam vacinadas na capital paranaense – nem todas as categorias dos grupos prioritários possuem metas estabelecidas, como é o caso do grupo de portadores de doenças crônicas, cujo número é desconhecido.

Moacir Pires Ramos alerta para a importância da imunização entre gestantes e crianças, lembrando que são dois grupos nos quais a capacidade de defesa do organismo é limitada. “A criança precisa da vacina porque ainda não tem seu sistema imunológico maduro. Já na gestante, a capacidade respiratória fica comprometida devido às alterações no corpo – como a dilatação do abdômen – que diminuem a capacidade de se proteger de um quadro de gripe e a possibilidade de complicações respiratórias é muito maior”, argumenta o diretor.

Fazem parte dos grupos prioritários para receber a vacina as pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis meses a dois anos, indígenas, gestantes, mulheres no período de até 45 dias após o parto (em puerpério), pessoas privadas de liberdade, profissionais de saúde, além das pessoas que têm doenças crônicas do pulmão, coração, fígado, rim, diabetes, imunossupressão e transplantados.

Além da vacina, o Ministério da Saúde recomenda a adoção de medidas de higiene pessoal para evitar a contaminação pelo vírus influenza. É importante higienizar as mãos com água e sabão, com frequência, principalmente depois de tossir ou espirrar; após usar o banheiro; antes de comer; antes de tocar os olhos, boca e nariz. Também é recomendável que as pessoas evitem tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies; usar lenço de papel descartável e proteger a boca e o nariz ao tossir ou espirrar.