Os funcionários da limpeza pública de Curitiba definem nesta segunda-feira (25), em uma reunião no Ministério do Trabalho do Paraná, às 17h, se vão ou não parar as atividades a partir das 7h desta terça-feira (26). Caso a Cavo, empresa responsável pela limpeza pública na capital, não apresente uma nova proposta, Curitiba amanhecerá sem coleta de lixo.

A última proposta da Cavo foi de 8% no salário e 9% no vale-alimentação. A classe pede aumento de 20% na folha de pagamento e outros 30% no vale e por isto recusaram a oferta da empresa em assembleias na semana passada.

Para Manasés de Oliveira, presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco), tudo pode acontecer na reunião de hoje. “A Cavo pode definir uma nova proposta com a intermediação do superintendente do MT-PR ou pode não passar dos 8%. Neste caso, a greve vai acontecer e toda a classe já está preparada”, afirmou à Banda B.

Segundo Manasés, Cavo e Prefeitura estão jogando com o tempo. “Eles vão esperar o apito final para apresentar uma possível proposta, como é de costume. Estão em silêncio e não falam sobre uma nova oferta. Vamos aguardar e ver o que vai acontecer na reunião de hoje”, concluiu o sindicalista.

A Banda B irá acompanhar a reunião e trazer ao seu leitor/ouvinte o que for definido no final da tarde de hoje.