Durante o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação, ocorrido neste sábado (20), 23 mil pessoas tomaram a vacina contra a gripe em Curitiba. Até agora, 163.844 pessoas já receberam a dose, que está disponível nas 109 unidades de saúde até a próxima sexta-feira (26). Isso corresponde a 43% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é vacinar 380 mil pessoas na capital paranaense. Apesar desse índice, as gestantes e as crianças com idade entre seis meses e dois anos são os grupos que menos aderiram à campanha de imunização.

O diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Moacir Pires Ramos, diz que, entre os grupos que têm metas estabelecidas, a menor adesão foi entre as crianças (25,43%), seguido das gestantes (28,44%). A população com mais de 60 anos foi a que respondeu mais rapidamente à vacinação (57,19%), seguida das mães que tiveram bebês há menos de 45 dias (40,31%).

Ramos alerta para a importância da imunização entre gestantes e crianças, lembrando que são dois grupos nos quais a capacidade de defesa do organismo é limitada. “A criança precisa da vacina porque ainda não tem seu sistema imunológico maduro. Já na gestante, a capacidade respiratória fica comprometida devido às alterações no corpo – como a dilatação do abdômen – que diminuem a capacidade de se proteger de um quadro de gripe e a possibilidade de complicações respiratórias é muito maior”, argumenta o diretor.

A vacina oferecida pela rede pública protege contra os três tipos mais comuns de vírus transmissores de gripe: Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B. Ramos afirma que essa vacina é produzida a partir de um vírus morto e, por isso, as grávidas não precisam se preocupar em afetar o bebê. “Essa vacina não faz mal, ela é uma proteção a mais para o bebê. É como a vacina contra o tétano, que é recomendada durante a gestação”, salienta Ramos.

No sábado, o prefeito Gustavo Fruet e o secretário municipal da Saúde, Adriano Massuda, acompanharam a vacinação na barraca montada na Boca Maldita, no Centro de Curitiba, um dos 65 postos de vacinação abertos durante o Dia D. Ao longo do dia, Massuda e Ramos percorreram vários postos de vacinação em todas as regiões da cidade para acompanhar o trabalho das equipes da SMS.