Por Elizangela Jubanski e Juliano Cunha

corpo-fogo19092013

Dupla estava nessa cancha. Foto: JC/Banda B

A dependência pelo crack foi ao extremo na noite desta quarta-feira (18). Uma adolescente de 17 anos ateou fogo no próprio corpo ao entrar em desespero quando a droga que ela consumia teria acabado. O caso aconteceu na rua Padre Izaías de Andrade, na favela do bairro Parolin, em Curitiba. Ela teve 85% do corpo queimado e está em estado grave.

A garota e o namorado passaram o dia consumindo droga próximo a uma cancha de futebol de areia quando, por volta das 21h30, o crack acabou. Ela teria entrado em desespero e pediu para que o namorado fosse comprar mais senão atearia fogo no corpo. O namorado explicou que eles não tinham mais dinheiro, de acordo com o depoimento à polícia, mas, mesmo assim as ameaças continuaram.

Ela, então, teria pego uma garrafa de álcool e teria molhado o corpo todo. Vinte minutos depois, ela acendeu a um isqueiro e jogou no corpo. O namorado, segundo depoimento à polícia, tentou impedi-la, sem sucesso. “Sempre quando faltava droga ela faz alguma coisa. Já tentou se matar também, ela se corta inteira quando falta o crack. E hoje, de novo, quando acabou começou a discussão. Eu não conseguia apagar o fogo dela, foi saindo a pele, foi horrível”, contou Nivaldo, que tem 40 anos e estava aos prantos. Eles namoram há um ano.

Socorristas do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foram acionados e encaminharam a garota em estado grave ao Hospital Evangélico. Ela estava com cerca de 85% do corpo queimado.