As corregedorias das polícias Civil e Militar estão atuando com rigor para coibir irregularidades e desvio de condutas, seguindo determinação da Secretaria de Estado da Segurança Pública. Somente este ano, foram excluídos dos respectivos quadros, sete policiais civis e sete militares.

Na Polícia Civil, além das demissões, determinadas após conclusão de procedimento pela Corregedoria Geral da instituição, outros dois policiais civis foram suspensos. No ano passado, foram 23 demissões na Polícia Civil, em todo o Estado, além de outras 11 suspensões. Outros dois policiais foram presos pelo Núcleo da Corregedoria.

A Corregedoria da Polícia Militar aplicou 1.335 punições em 2012, e 167, neste ano. Por comprovação de má-conduta e outras ações não compatíveis com o que rege a corporação, 39 policiais militares foram excluídos no ano passado. Para investigar denúncias contra os policiais, a Corregedoria da PM abriu 1.198 sindicâncias no passado e 417 nesses primeiros cinco meses do ano. Do ano passado para cá, foram 941 inquéritos abertos (que podem acarretar a expulsão).

Também foram presos 43 PMs em flagrante ou por mandado, em 2012, e outros 34 em 2013.

Fortalecimento

Para o secretário da Segurança Pública, Cid Vasques, esses resultados demonstram o fortalecimento das corregedorias e a atuação efetiva dos mecanismos de controle interno que a pasta dispõe. “Todo indício de irregularidade é apurado pela Secretaria da Segurança Pública e suas unidades e, com a comprovação da denúncia, os responsáveis são rigorosamente punidos”, afirma ele.

Uma denúncia sobre um servidor policial acarreta investigação preliminar, que pode culminar na abertura de sindicância (as punições vão de uma advertência até suspensão por tempo determinado) ou de um processo administrativo, que pode acarretar demissão.

Denúncias

Informações sobre desvios de conduta e irregularidades de policiais podem ser repassadas à Ouvidoria da Segurança (www.ouvidoria.seguranca.pr.gov.br). Para denúncias à Corregedoria da Polícia Civil, o telefone é 0800-41-00-90; e da Polícia Militar, 0800-643-7090.