Por Elizangela Jubanski e Daniela Sevieri

Reprodução Facebook

Não há informações se ela confessou durante o fim de semana ou se o corpo foi encontrado durante buscas. Reprodução Facebook

O corpo do policial militar Rodrigo Federizzi foi encontrado na manhã deste domingo (14) em uma área rural do município de Araucária, na região metropolitana de Curitiba. A esposa dele Ellen Federizzi está presa desde a noite de quarta-feira (10), suspeita de ter assassinado o marido. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) confirmou o recolhimento do corpo pelo Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba à Banda B. A identificação oficial sobre a identidade do policial foi confirmada por volta das 18h30.

Rodrigo teria sumido na manhã do dia 28 de julho e a esposa registrado Boletim de Ocorrência (BO) no dia 30, alegando que ele tinha saído de casa para resolver assuntos pessoais. A esposa do policial foi presa após perícia minuciosa feita dentro da residência da família que, por meio da substância química luminol, foi encontrado sangue humano no quarto e no banheiro. A casa estava totalmente limpa e o produto reagiu ao composto quando analisado nos dois cômodos. Um serrote, também com marcas de sangue, foi encontrado dentro da casa. O mandado de prisão de Ellen é temporária, válida por 30 dias, e decretada pela 1ª Vara Criminal de Curitiba.

Na sexta-feira, em depoimento prestado à DHPP ela negava ter cometido o assassinato do marido e que acreditava que ele estivesse vivo. Não há informações, por ora, se ela confessou o crime ou se o corpo foi encontrado durantes buscas. Segundo fontes ligadas à Banda B, o corpo – que passará por exames detalhado – está com a aliança em nome de Ellen, o que corrobora a identificação do policial.

O perito do IML Edimar Cunico confirmou à Banda B que o corpo estava envolto a sacos plásticos. ” O corpo estava enterrado a dois palmos de terra, muito úmida e fria. Estava com as pernas amputadas, um orifício de projétil na cabeça, as pernas não estavam no local. O corpo estava bem preservado por causa da temperatura, tinha pouco sangue no tronco, estava com a aliança e com uma data”, disse.

Desaparecimento

A Banda B divulgou o desaparecimento do soldado na manhã do dia 1º de agosto. Segundo informações da família, Rodrigo saiu de casa às 10h30 e não voltou mais. Estava escalado para comparecer na Secretaria de Segurança Pública do Paraná, setor de monitoramento de tornozeleira eletrônica, e também não apareceu.

Notícias Relacionadas:
Família de policial desaparecido está em choque com prisão de esposa; filho de 9 anos foi ouvido