A Copel registrou em 2012, pela segunda vez consecutiva, os menores índices de interrupção no fornecimento de energia de toda a sua história. Houve redução tanto na quantidade total quanto na duração média das interrupções no abastecimento aos consumidores atendidos pela Companhia.

A Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC), que mede o tempo médio em horas no ano durante o qual os domicílios permaneceram desligados, foi de 10,25 – redução de 3,67% em relação ao índice verificado em 2011. Já a Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC), dado que informa a quantidade média anual de desligamentos, encerrou o ano em 7,84, o que representa uma diminuição de 4,97%.

Os dados demostram um desempenho bastante superior à média brasileira divulgada recentemente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que foi de 18,65 na duração dos desligamentos e de 11,1 na frequência das interrupções.

Para o superintendente de Engenharia de Distribuição da Copel, Jacir Carlos Paris, o resultado se mostra especialmente positivo se consideradas as condições climáticas observadas no ano de 2012. “Tivemos temporais muito mais severos do que nos anos anteriores, e ainda assim conseguimos uma redução significativa em ambos os índices”, avalia.

QUALIDADE– Os índices DEC e FEC foram criados no setor elétrico em 1990, com o propósito de avaliar e medir o grau de qualidade dos serviços de distribuição de energia sob o enfoque da continuidade e da sua disponibilidade ao usuário. Periodicamente, a Aneel estabelece limites máximos de DEC e FEC para as empresas distribuidoras. O descumprimento de tais limites é acompanhado pelo órgão regulador e pode resultar em multas para as concessionárias.

São considerados na formulação dos índices todos os desligamentos ocorridos durante o ano na área de concessão da distribuidora, inclusive aqueles motivados por fatores climáticos ou ação de terceiros, como abalroamento de postes, queda de balões ou pipas presas à fiação.

No caso da Copel, metade das interrupções é motivada por temporais, vendavais e descargas atmosféricas. São excluídos do cálculo apenas os desligamentos ocorridos em situação de calamidade pública decretadas pelos órgãos competentes, ou nos casos em que a concessionária comprova a ocorrência de um número de chamadas emergenciais muito superior à média.

As redes de distribuição da Copel se estendem por 1.115 localidades em 396 municípios, atendendo mais de quatro milhões de unidades consumidoras – 372 mil em zonas rurais. Sua extensão totaliza 186,36 mil quilômetros, o suficiente para dar mais de quatro voltas em torno do planeta pela linha do equador.