Por Felipe Ribeiro

Reprodução

Em protesto contra o pacote de ajuste fiscal proposto pelo prefeito Rafael Greca, os guardas municipais de Curitiba aprovaram, na noite desta quarta-feira (5), entrar em estado de greve. Com a decisão, a capital paranaense pode enfrentar uma greve geral de todas as categorias municipais caso Greca não retire o projeto de pauta na Câmara Municipal. O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sismuc) e o Sindicato dos Servidores do Magistério (Sismmac) também já aprovaram em assembleias pelo estado de greve.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores da Guarda Municipal (Sigmuc), Luiz Vecchi, a assembleia chegou a bloquear a Rua Mariano Torres para a deliberação, uma vez que o número de presentes não coube na sede da entidade. “Nós não somos contra o ajuste fiscal, somos contra a maldade colocada nele. Não é justo o servidor ser prejudicado em relação a má gestão colocada pela gestão Greca”, disse.

Mesmo com o estado de greve aprovado, por enquanto os guardas municipais continuarão a trabalhar até a convocação de uma assembleia conjunta entre as categorias. A diretoria do sindicato também estará passando em todos os postos de trabalho para tirar dúvidas sobre o estado de greve.

Greve geral

Luiz Vecchi também falou sobre a possibilidade de uma greve geral conjunta de todas as categorias do funcionalismo público municipal. “Nós estamos com algumas lutas unificadas e costurando sim para uma greve geral contra essa reengenharia orçamentária que o prefeito tanto fala. O congelamento da database vai trazer um prejuízo para todos os servidores, assim como o congelamento dos planos de carreira, medidas que não foram conversadas com ninguém. Ainda temos a questão de mudanças na Previdência, onde o prefeito entra em contradição, quando fala que não há dinheiro, mas mesmo assim quer tirar R$ 600 milhões de lá”, concluiu.

Já há alguns dias, as categorias estão em conversas com os vereadores para pedir voto contra as mudanças. Como não há cronograma de votação, também ainda não há data para a paralisação geral das categorias.

Notícia Relacionada: