Por Felipe Ribeiro e Luiz Henrique de Oliveira

Com posição contrária ao projeto que coloca o cartão transporte como meio exclusivo de embarque nos ônibus de Curitiba, o Sindicato dos Cobradores e Motoristas de Ônibus (Sindimoc) organiza um protesto em frente à Câmara Municipal para impedir a aprovação da lei. Em entrevista à Banda B nesta sexta-feira (15), o presidente Anderson Teixeira, falou que o sindicato está empenhado em impedir a extinção da função do cobrador e a manifestação irá começar às 10 horas da próxima segunda-feira (18).

cobrador

Foto: Anderson Tozato/CMC

“Temos o objetivo de mostrar quão digna é a profissão do cobrador e estamos tomando um posicionamento firme ao lado dos trabalhadores. São seis mil pais de famílias e outras cidades já nos provaram que os profissionais nunca são realocados”, afirmou.

Segundo Teixeira, a única intenção do projeto é aumentar o lucro do empresariado, já que promoveria uma mudança radical no sistema. “Os trabalhadores chegaram a ficar em pânico com o anúncio desse projeto nefasto e na segunda faremos um abraço simbólico na Câmara pedindo a reprovação do projeto”, concluiu.

A Prefeitura de Curitiba já informou que, apesar do projeto, não tem a intenção de acabar com a profissão do cobrador na capital.

Projeto tenta dar fim à conversa

Após a polêmica, outro projeto começou a tramitar na Câmara nesta semana. De acordo com a matéria, o projeto de lei pretende restringir aos micro-ônibus a exclusividade do cartão transporte, impedindo que a mudança atinja outros tipos de veículos. A justificativa do projeto argumenta que o cobrador não é responsável apenas por manusear o troco e validar o cartão transporte, mas possuí várias outras funções. “Fora isso, eles atuam no auxílio sobre trajeto e pontos de parada, acionam os equipamentos de elevador para portadores com deficiência e auxiliam o motorista no momento que ocorre o desembarque, para fechar as portas”, afirma.