Por Felipe Ribeiro

Fotos: Banda B

Contrários ao fechamento da Escola Estadual Dom Orione, professores e alunos fizeram nesta quarta-feira (28) um ‘abraço coletivo’ para pressionar o Governo do Estado a recuar da intenção. A instituição fica no bairro Santa Quitéria, em Curitiba, e é uma das 71 que aparecem na lista em estudo da Secretaria da Educação (Seed) para economia de custos. A ideia do governo era cessar gradualmente as atividades no espaço.

De acordo com a diretora Maria Ivonete Favarin Vendrametto, o anúncio foi feito no último dia 19 e aconteceu de uma maneira desrespeitosa. “Tratamos nossos alunos da melhor maneira possível há 48 anos, os nossos alunos nos deixam com um ensino de excelência. A notícia de cessação veio antes da consulta após eu ser chamada na logística do Estado, agora nos mobilizamos para impedir que nossa escola seja fechada”, disse.

Segundo uma aluna do 7° ano da escola, todos receberam a notícia com muita preocupação. “Minha família tem planos aqui na escola e eu fiquei em choque. Gosto do ensino rígido daqui e esperamos que ela não feche”, comentou.

Em entrevista à Banda B no último sábado, a superintendente da Educação do Paraná, Fabiana Cristina Campos, já havia dito que encerrar as atividades poderia ser prejudicial aos alunos. “A intenção das assembleias que estamos realizando no estado é justamente fazer a proposta e ouvir a comunidade. A Dom Orione é premiada e possui várias realizações, então não estar fisicamente no local é ruim para o bairro mesmo que o espaço seja locado. Temos uma reunião no dia 4 de novembro com a direção e a associação de pais para uma definição”, explicou.

Na última sexta-feira, a superintendente já esteve na escola e ouviu as reivindicações da comunidade.

A Dom Orione recebeu recentemente um prêmio estadual de gestão e aumentado a nota no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). “Além de todos esses fatores, temos um projeto de leitura há 15 anos que mobiliza alunos e funcionários e não vamos deixar que isso acabe. Saímos de um massacre e agora recebemos essa pancada do governo”, concluiu a diretora.

Fechamento de escolas

A informação de que o governo poderia fechar dezenas de escolas surgiu na última semana, a partir de denúncia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato). A Seed admitiu que estuda encerrar as atividades em 71 instituições para diminuir os gastos com aluguel, mas a superintente Fabiana garante que nada é definitivo e tudo passará por avaliação das comunidades escolares.

Notícias Relacionadas:

Secretária diz que readequação de escolas é normal e culpa ano “atípico” por excesso de críticas

Após pressão, superintendente da Educação diz que escola do Santa Quitéria precisa ser mantida

Comunicado de fechamento ‘gradual’ de escola estadual mobiliza pais e alunos em Curitiba