Da blog Eu amo o meu Fusca

Quem nunca levou um tapinha por causa do fusca azul que atire a primeira pedra. Adorada por uns e odiada por outros, essa brincadeira tem uma origem cômica que vale a pena ser contada. Há muitos anos, na década de 1920, havia um lugar nos Estados Unidos chamado Ford Motors Company. Nesta fábrica trabalhava o gênio Henry Ford, na época com seus 57 anos.

fusca-azul-141013-bandab

Foto: Divulgação

Dentre as muitas conquistas de Henry Ford está a de ser o criador da montagem em série, o que permitiu a produção de um maior número de carros em menos tempo. Mesmo com toda essa superprodução, todos os carros, ou melhor, a maioria deles, era feita na cor preta. E a situação monocromática tinha um motivo: as televisões ainda não transmitiam cores. Então, qual era o sentido de fazer carros coloridos se justamente a cor não poderia ser vista na tela da TV? Melhor fazê-los pretos.

Eis que em um dia como outro qualquer, um funcionário da fábrica errou a dosagem de ciano na composição das tintas dos carros e criou uma linha de carros azuis! O acontecimento não foi muito bem recebido pelo gênio, que em um momento de fúria, socou o funcionário. A cena foi vista por muitas pessoas e acabou sendo repetida até virar uma brincadeira! Qualquer um que avistasse ocasionalmente um dos “Ford Azul” anunciava sua presença e repetia o soco, para o azar dos distraídos.

No Brasil a brincadeira, sempre levada desse jeito, chegou com o desembarque de uma linha nova de fuscas da época. Graças a uma grande sacada de Marketing, seu nome ficou “Fusca Azul” e foi espalhada por todo o país.