As provas para a primeira fase do concurso público para delegados da Polícia Civil do Paraná aconteceram com tranquilidade neste domingo (05) nas cidades de Curitiba, Cascavel e Londrina.

De acordo com o presidente da comissão do concurso da Polícia Civil, delegado Julio Reis, tudo ocorreu normalmente, sem imprevistos durante a realização das provas. “Tivemos apenas um caso de música alta, próximo à Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba, que foi rapidamente solucionado pelos nossos policiais”, conta.

O gabarito oficial provisório será divulgado às 17 horas desta segunda-feira (06) no site da Coordenadoria de Processos Seletivos da Universidade Estadual de Londrina: www.cops.uel.br.

Foram mais de 18 mil inscritos que concorreram a 26 vagas para o cargo, que tem remuneração inicial de R$ 13.831,10. Ao todo são 21 vagas de ampla concorrência, três para afrodescendentes e duas para pessoas com deficiência. O concurso também formará um banco de reservas para eventual preenchimento de outras vagas com a autorização do Governo do Estado.

Reis destaca a necessidade do concurso. “Vamos inovar o quadro de delegados da Polícia Civil e suprir aposentadorias recentes que criaram um déficit em algumas comarcas”, explica.

CANDIDATOS – Sibele Gurski, 31 anos, afirma que prestou o concurso pela estabilidade que a carreira proporciona. “Tenho um pouco de receio com a profissão e estou tentando mais pelo salário e estabilidade. Gostaria muito de poder atuar no interior do Paraná, onde precisam de mais delegados”, acredita. Já Eliane Santos Basseto, 39 anos, comenta que o que mais a atrai é a possibilidade de atuação. “Gosto do dia a dia, da possibilidade de mudar mudar o que é necessário. Vejo tanta coisa errada e acho que tenho que contribuir para melhorar nossa sociedade”, opina.

O bacharel em direito Pedro Rodrigues, 22 anos, afirma que tentou o concurso pela profissão, e não pela remuneração. “A Polícia Civil me agrada bastante, claro que a questão salarial também é boa. Mas não penso somente no salário, pois muitos concursos também têm boas propostas salariais. O que me atrai é a profissão em si”, diz.

Tatiane Souza Freitas, 26 anos, é formada há seis anos e desde então se prepara para o concurso. “Desde que me formei só estava me preparando para o concurso. Entrei na faculdade para ser delegada. É o meu sonho. Tenho familiares que são delegados e também quero entrar na profissão por influência deles”, conta.

O concurso para delegado da Polícia Civil tem validade de dois anos, a contar da data da homologação do resultado final no Diário Oficial Executivo, podendo ser prorrogado por igual período.

CONCURSO – Os portões fecharam às 13 horas e as provas foram encerradas às 18 horas. Os candidatos responderam 100 questões objetivas de múltipla escolha, que foram distribuídas entre as áreas de língua portuguesa, informática, raciocínio lógico, direito civil, legislação estadual, medicina legal, direito administrativo, direito constitucional, direito penal, direito processual penal.

Após a primeira fase, os candidatos selecionados passarão pela prova de conhecimentos específicos (prova discursiva), prova de títulos, exame de higidez física, exame de aptidão física e, por fim, exame de investigação de conduta.

PARANÁ SEGURO – O concurso para aumentar o efetivo da Polícia Civil faz parte do programa Paraná Seguro, que está reestruturando a Segurança Pública do Paraná. O programa inclui a aquisição de 1.470 novas viaturas para as polícias Civil, Militar e Científica; a incorporação já realizada de 3.127 novos policiais; implantação de módulos móveis; reequipamento e novas sedes para o Instituto Médico-Legal e para o Instituto de Criminalística.