Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Assembleia foi lotada no Dom Orione (Foto: Juliano Cunha - Banda B)

Assembleia foi lotada no Dom Orione (Foto: Juliano Cunha – Banda B)

O comunicado de fechamento gradual da Escola Estadual Dom Orione, no bairro Santa Quitéria, em Curitiba, mobilizou pais e alunos na noite desta sexta-feira (23). Referência de ensino há 48 anos, a comunidade teme que a extinção da instituição possa superlotar as salas de aulas das demais escolas da região.

De acordo com a vice-diretora Ana Maria Veiga, o comunicado diz que em 2016 seria fechado o 6° ano e a escola teria as atividades encerradas em 2018. “Nós temos vários projetos para melhorar a qualidade de ensino e é isso que mais nos entristece. Não há qualquer justificativa para o fechamento, apenas o comunicado”, disse.

Em entrevista à Banda B na última quinta-feira (22), a superintendente da Educação do Paraná, Fabiana Cristina Campos, admitiu que o Estado estuda fechar 71 escolas, mas que são todas instituições com vagas ociosas. “Estamos fazendo um estudo de reordenamento das nossas escolas, mas não é nada definitivo. Estamos consultando a comunidade e podemos tomar outro rumo. Vamos encerrar o processo na semana que vem com o objetivo é otimizar os espaços”, afirmou.

Para Ana Maria, a transferência dos alunos pode gerar superlotação nas demais escolas da região. “Sabemos que a medida irá superlotar as outras escolas, em um número acima da legislação e isso atrapalha todo o trabalho. O que está dando certo não pode acabar”, concluiu.

O Governo do Estado nega que irá superlotar salas. Os núcleos de Educação estão convocando assembleias e analisando contrapropostas para se atingir um equilíbrio na rede.

Notícia Relacionada:

Sindicato denuncia que Estado pode fechar mais de cem escolas; governo alega estudos de “otimização”