Por Luiz Henrique de Oliveira e Geovane Barreiro

Arrastões e assaltos. Os alunos do Colégio Sesi da Cidade Industrial de Curitiba, na  Rua Senador Accioly Filho, já pensam em uma disciplina extracurricular: defesa pessoal. “Meu filho vai para escola estudar e não consegue se concentrar porque tem medo de ir embora”, afirmou à Banda B nesta terça-feira (27) a mãe de um aluno que já foi assaltado duas vezes nas imediações da escola.

“Uma vez foi com uma faca e a outra, na última quarta-feira, um marginal apontou a arma contra alunos e levou tudo. Foi um arrastão”, contou a mãe, que reclamou da distância entre o ponto de ônibus e a sede física da escola. “Não tem iluminação e não interessa se têm várias pessoas esperando para embarcar, eles vão para cima”, relatou.

Mais segurança

O capitão Costa, da Patrulha Escolar da Polícia Militar (PM), afirmou que a corporação está ciente dos problemas na região. “Vamos intensificar ainda mais, porque está se tornando algo repetitivo. Vamos preparar uma abordagem com mais intensidade”, disse.

A URBS afirmou que irá estudar se o ponto de ônibus pode ser realocado para ficar mais próximo à sede física da escola.

Sesi atento ao problema

A direção do Sesi informou que também já fez pedido de mudança no ponto de ônibus e aguarda por um retorno da URBS. Além disto, a direção disse que tem feito um trabalho de sensibilização dos jovens de irem direto ao ponto para evitarem este tipo de ação. Inúmeras reuniões com a PM também são feitas para garantir mais segurança, garante o colégio.