A cidade de Curitiba, uma das doze cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, recebeu nesta terça-feira (29) a visita de uma comitiva composta por 40 membros da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL). O objetivo foi acompanhar as obras do Mundial e discutir planos de ações durante o evento.

Pela manhã, a delegação vistoriou as obras da Arena da Baixada. O estádio – que está com aproximadamente 55% das obras finalizadas – deve ser concluído no final de novembro. “Eles ficaram bastante satisfeitos com o que viram. O andamento das obras está dentro da programação, os prazos estão sendo cumpridos e isso para eles é o que mais importa”, afirmou o secretário estadual para Assuntos da Copa, Mário Celso Cunha, que acompanhou as visitas.

Durante à tarde, a delegação se reuniu no Salão de Atos do Parque Barigui, onde trocaram informações e discutiram soluções para 16 áreas ligadas diretamente à operação nos dias de jogos: competições, operações de imprensa, televisão, protocolo, mídia, tecnologia da informação, credenciamento, segurança, marketing, médica, ingressos, transporte, alimentação, voluntários, logística e hospitalidade.

A comitiva da Fifa visitou, em 2012, as seis cidades que receberão, além dos jogos do Mundial, a Copa das Confederações. Neste ano, a federação internacional volta os olhos para as demais cidades-sede que, como Curitiba, receberão apenas competições pela Copa do Mundo. A próxima visita da comitiva a Curitiba está marcada para o mês de setembro.

MOBILIDADE – No final da tarde, a caminho do Aeroporto Afonso Pena, a comitiva conheceu as obras incluídas no PAC da Copa, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O Governo do Estado, por meio da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), trabalha no Corredor Aeroporto-Rodoferroviária e no Corredor Marechal Floriano. Ambos os projetos visam aumentar o fluxo de veículos entre São José dos Pinhais (principal chegada de turistas) e a Capital.

As duas obras de mobilidade têm investimentos de R$ 68,7 milhões, com financiamento do governo federal e contrapartida do Estado. Os trabalhos foram iniciados no final de dezembro e as obras devem ser concluídas até maio de 2014. Somente na Avenida das Torres o fluxo de veículos deve aumentar em 30% com a implantação de mais uma pista em ambos os lados e a construção de trincheiras.