Uma ex-funcionária da Prefeitura de Colombo, Rutiléia Silva, entrou em contato com a Rádio Banda B nesta quarta-feira (27) para denunciar o não pagamento de valores referentes às férias de mais de 200 ex-funcionários, exonerados neste início de ano, com o fim da gestão. Segundo Rutiléia, ao entrar em contato com a prefeitura e ameaçar entrar em contato o com a Banda B, ela obteve a resposta que se fizesse isso, não teria o benefício depositado.

“Eu trabalhei em um centro de convivência para idosos e eu teria direito a férias no mês de janeiro deste ano, mas deixei a prefeitura e não recebi nada. Entrei em contato com a prefeitura que me disse que esse é um assunto que o setor jurídico irá resolver”, comentou.

Segundo ela, alguns ex-funcionários entraram com ação judicial, mas ela disse que gastaria com um advogado, um valor próximo total a ser recebido. “Eu não vou entrar na justiça, não compensa, mas realmente eu espero que algo seja feito”, disse.

Rutiléia trabalhou por oito anos na gestão de Jota Camargo (PSC), mas assim que o presidente da Câmara Municipal, José Renato Strapasson (PTB), assumiu o cargo interinamente, foi exonerada. Segundo ela, até o momento, a nova gestão da prefeita Beti Pavin (PSDB) não se pronunciou se os valores serão depositados.

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Colombo e foi informada que todos os haveres dos cargos comissionados foram regularmente pagos. “Ocorre que, em alguns casos, há o absurdo pleito de indenização de férias não gozadas e relativas a três ou quatro períodos aquisitivos. Como há fortes indícios de que os períodos de férias reclamadas, em vários casos foram fruídas, é necessária a prévia averiguação da regularidade de seu pagamento, em respeito ao erário”, diz a nota.