Da redação com CMC

A Comissão de Serviço Público e a vereadora Carla Pimentel (PSC), que é a representante do Legislativo no Conselho de Administração da Urbs, foram destacados  para realizar a mediação do impasse entre a Prefeitura de Curitiba e os permissionários das lojas da rodoferroviária. Nesta quarta-feira (18), a presidente da associação de comerciantes do local, Jussara Soares, e outras 14 pessoas estiveram reunidas com os vereadores na Câmara Municipal.

rodoferroviaria-180913

(Foto: Divulgação)

O objetivo é abrir um novo canal de negociação entre as partes, começando por uma reunião entre os vereadores, os lojistas e o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet. Os parlamentares pediram que os comerciantes definam uma proposta para ser apresentada ao Executivo, estendendo a cessão para uso do espaço pelos próximos três anos (prazo do convênio entre a União e o município, que usufrui do espaço apesar de ele ser patrimônio federal).

“Ninguém quer uma solução que esteja fora da legalidade. Mas precisa ser agora? Fechando 30 empresas e demitindo 180 pessoas? Não precisa licitar dessa forma apressada, gerando um passivo para o município”, afirmou Elton Baiocco, um dos advogados dos lojistas presente na reunião. No dia 14 de agosto, Jussara Soares apresentou a situação em plenário e recebeu o acompanhamento da Câmara de Curitiba.

Depois disso foram realizadas reuniões entre lojistas e gestores da Urbs, até que no dia 5 de setembro, segundo os advogados, a gestora do espaço cassou a licença para uso dos espaços de todos os comerciantes e definiu uma nova licitação para o dia 30 deste mês.

Outro ponto polêmico, fora a nova licitação, é a desocupação da ala estadual,já que a reforma começa nos próximos dias. “Onde não existe diálogo nada vai para frente. As pessoas não podem administrar um órgão público sem conversar, indo para a mídia e colocando coisas desrespeitosas sobre os lojistas, que são inverdades”, desabafou Jussara Soares durante a reunião. A rodoferroviária tem 36 estabelecimentos comerciais.