Da Redação

O quarto dia da audiência de instrução que analisa a suposta tortura de policiais contra os quatro acusados de matarem a menina Tayná Adriane da Silva começou por volta das 14h30 no Fórum de Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Ontem, três irmãs, a mãe e um tio de Tayná foram ouvidos, além de sete estagiários da Delegacia do Alto Maracanã na época do crime. Hoje mais cinco testemunhas de defesa dos policiais devem falar no Fórum.

tayna

Foto: Reprodução

Ontem os quatro ficaram frente a frente com os supostos torturadores e demais pessoas e, de acordo com os advogados de defesa, o processo foi muito positivo para provar a inocência dos 21 policiais. Segundo o advogado Marluz Dalledone, os acusados se contradizem mais a cada dia e não conseguem sustentar suas versões. “Eles não conseguem manter essa história e se perdem a cada dia, ontem apontaram várias pessoas que não estavam na delegacia como suspeitos”, garantiu.

Depoimento da família

De acordo com Dalledone, um momento foi de muita emoção na data de ontem, isso porque a família chorou pedindo pela resolução do caso. “Foi um momento triste, já que eles reviveram todos esses momentos tristes, eles não acreditam que os policiais estão passando por isso antes do julgamento do Caso Tayná”, concluiu.