Divulgação Appa

Em atendimento à definição da plenária nacional – realizada pelas três federações que congregam os trabalhadores do setor portuário brasileiro – os trabalhadores portuários de todo o país decidiram realizar uma greve geral nos portos. A paralisação começou às 7 horas desta sexta-feira (22) e deve durar até às 13 horas. Uma nova paralisação, também de seis horas, deverá ocorrer na próxima terça-feira (26). A greve será realizada para demonstrar a insatisfação dos trabalhadores com relação à medida provisória 595/12, editada pelo Governo Federal em dezembro do ano passado.

A decisão de paralisação ocorreu antes da instalação da Comissão do Congresso Nacional que irá avaliar as mais de 600 emendas apresentadas por parlamentares de quase todos os partidos, sendo pelo menos 1/3 delas apresentadas por representantes dos trabalhadores.

Em Paranaguá, todas as sete categorias sindicais, além da Cooperativa de Transportes e da Coopadubo, aderiram ao movimento> No fim da tarde desta quinta-feira (21), o site oficial do governo divulgou nota com críticas ao governo federal, informando que a paralisação certamente irá prejudicar as operações nos Portos do Paraná.

“A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) está apreensiva com o movimento uma vez que existe uma programação de navios a serem atracados para carregar ou descarregar produtos e, com uma mobilização desta natureza, atrasos e prejuízos serão gerados”, diz um trecho da nota.

“Num período em que a movimentação de granéis é grande por conta do período de safra, paralisações desta natureza podem gerar diversos problemas e prejuízos. Estamos preocupados com as consequências deste movimento, pois o produtor agrícola esta no momento da colheita da safra e muito precisa da operação portuária. Por outro lado, estamos confiantes que as partes chegarão a um consenso benéfico para o país”, afirmou o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.